quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

"Foi um trabalho primoroso", disse o secretário Aluísio sobre o julgamento dos acusados no caso Décio Sá

Secretário de Segurança, Aluísio Mendes
O secretário de Segurança Pública do Maranhão, Aluísio Mendes, definiu como primoroso o trabalho da Justiça na condenação do assassino do jornalista Décio Sá, Jhonathan de Sousa Silva, e do piloto que deu fuga ao pistoleiro, Marcos Bruno Silva. Jhonathan Silva e Marcos Bruno Silva foram considerados culpados pelo assassinato e pegaram, respectivamente, 25 anos e três meses e 18 anos e três meses.

"A avaliação é extremamente positiva. Não só eu, mas a sociedade maranhense está gratificada com esse primoroso trabalho da polícia do Maranhão. Essa comissão de policiais, delegados, investigadores e peritos mostrou a qualidade da nossa policia em resolver esse caso" declarou.

O julgamento foi encerrado nas primeiras horas desta quarta (5), após quase três dias de julgamento no Fórum de São Luís. A sentença lida pelo juiz Osmar Gomes dos Santos, após veredicto de um júri popular, condenou Jonathan, réu confesso, a 25 anos e três meses de prisão em regime fechado.

Já Marcos Bruno foi condenado a anos 18 anos e três meses de prisão. Além do assassinato qualificado, os dois também foram condenados por formação de quadrilha.

Segundo Aluísio, a investigação sobre crimes de agiotagem continua. "Essa investigação começou para apurar um homicídio e no decorrer dela se identificou essa quadrilha. A investigação continua e está muito adiantada para esmiuçar toda essa atividade criminosa", disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário