terça-feira, 19 de agosto de 2014

Médico que atropelou e matou policial militar já está solto e nem precisou pagar fiança para deixar a cadeia

O médico Marco André Carneiro Salomão logo após provocar o acidente
Já está em liberdade o médico Marco André Carneiro Salomão, de 27 anos, acusado de atropelar e matar o sargento da Policial Militar, João Eudes Barros Carneiro, no último domingo (17). Ele teve o pedido de prisão relaxado, nesta terça-feira (19). Marco André foi preso em flagrante, sob suspeita de estar dirigindo embriagado, e solto sem a necessidade de pagamento de fiança. A informação foi confirmada pelo repórter Marcial Lima, da Mirante AM.

Pouco mais de 72 horas depois de matar o 1º sargento da PM, João Eudes Carneiro, num acidente de trânsito, o médico Marco André teve sua liberdade concedida. Ele, segundo testemunhas, dirigia na contramão pela avenida dos Holandeses, quando se chocou de frente com a moto conduzida pelo militar.

A defesa de Marco André alega que o acidente foi causado depois de o médico tentar desviar de outro carro que seguia à sua frente e que a prisão preventiva é desnecessária, pois se trata de um médico “atuante com residência fixa, endereço certo e desempenha sua profissão no Hospital Carlos Macieira em São Luís (MA), no município de Matões do Norte (MA), Penalva (MA), e faz parte do Grupo de Transporte de Socorro Aéreo da Rede de Saúde Estadual".

Na decisão, a desembargadora Maria dos Remédios Buna substitui a prisão preventiva pelas seguintes medidas cautelares:

I - Comparecimento periódico em juízo, no prazo e nas condições fixadas pelo juiz, para informar e justificar suas atividades laborais;

II - Proibição de ausentar-se da comarca, sem autorização judicial;

III - Recolhimento domiciliar no período noturno e fins de semana;

IV - Proibição de frequentar bares, restaurantes e estabelecimentos afins;

V - Proibição de manter contato com quaisquer das testemunhas arroladas pela acusação;

VI- Proibição de dirigr veiculo automotor.

Leia, aqui, a íntegra da decisão da magistrada

Logo após o acidente, um jornaleiro que estava próximo ao local da colisão afirmou que ouviu o médico dizer: “esse cara me deu um prejuízo miserável”, referindo-se ao acidente.

Além de estar dirigindo na contramão, Marco André estava com sua carteira de habilitação em fase final de suspensão. Em 30 de junho de 2013, o Diário Oficial publicou uma notificação sobre o processo de perda da carteira pelo fato dele ter sido flagrado dirigindo sob o efeito de álcool, no município da Raposa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário