Comercial da Prefeitura de SL

Comercial da Prefeitura de SL

quinta-feira, 12 de março de 2015

São Luís tem mais de 50% da população endividada

Gerente do Procon, Duarte Júnior
Mais de 50% da população de São Luís possui algum tipo de débito a pagar como contas de energia elétrica atrasadas, água, telefone, TV a cabo, financiamento de veículos, aluguel de imóvel, entre outros. Os dados são da Gerência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), que reconhece a importância do equilíbrio nas relações de consumo para o exercício da cidadania na sociedade moderna. 

Para alertar os usuários desses serviços, o órgão iniciou ontem, 11, a Semana Estadual de Prevenção e Combate ao Superendividamento, com atendimento ao público, no São Luís Shopping, no horário das 10h às 22h. O evento se encerra amanhã, 13, cuja programação faz parte das comemorações ao Dia Mundial do Consumo, celebrado no próximo dia 15.

Segundo o gerente do Procon no Maranhão, Duarte Júnior, o projeto busca a renegociação de dívidas, sendo uma ótima oportunidade para que as pessoas que estejam endividadas possam estar realinhando débitos com até 20% em pagamentos à vista. 

“Os números atuais mostram que o quantitativo de endividados no estado é cada vez mais crescente. E por meio dessa operação montada aqui no Shopping São Luís a gente quer levar a educação e fazer com que as pessoas possam se planejar preventivamente para evitar dívidas. Além disso, os consumidores terão a oportunidade de até sexta-feira participar da renegociação de dívidas com todas as instituições financeiras”, declarou.

Para o economista Pablo Rebouças, membro do Conselho Regional de Economia do Maranhão (Corecon-MA), estar endividado é estar usando o crédito para pagar uma dívida e estar inadimplente é não ter renda para quitar determinado débito. 

“O problema da inadimplência é que isso gera um custo maior ao consumidor, que são os chamados juros. Se o cidadão se encontra inadimplente, ele precisa qualificar o tipo de dívida que possui, analisar os débitos que são mais caros, sem necessariamente perder a qualidade de vida que dispõe. A grande questão é que o consumidor pode resolver essa inadimplência, sem perder essa qualidade de vida”, ressaltou.

Matéria completa ver jornal O Estado do Maranhão

Nenhum comentário:

Postar um comentário