Banner da Prefeitura de São Luís

Banner da Prefeitura de São Luís

domingo, 5 de julho de 2015

Flávio Dino chega aos seis meses de mandato com indicativo de desgaste ­


De O Estado

O governador Flávio Dino (PCdoB) completou seis meses de mandato no último dia 1º, marcado por um crescente desgaste popular e político. Nas redes sociais, que o comunista teve como trunfo para se elegergovernador, ele já não é a unanimidade dos primeiros dias de governo e tem sido cada vez mais questionado porseguidores no Twitter e "amigos" do Facebook.

Dino já registra incômodo também nas alianças montadas para elegê­lo governador. Logo de início, perdeu o exdeputado Domingos Dutra (SDD), que nem quis assumir o cargo disponível no governo. Senador eleito em sua chapa, o socialista Roberto Rocha é cada vez mais crítico do governo. O governador mantém relação difícil também com a deputada Eliziane Gama (PPS) e hoje é bem mais distante do seu principal aliado político, o exgovernador José Reinaldo Tavares (PSB), tido como seu criador político.

"O governador é muito bem intencionado, com muita vontade de acertar, com vários pontos positivos neste início de governo, enfrentando dificuldades da herança de algumas pastas do governo anterior e atual situação econômica do país"Rogério Cafeteira, líder do governo na Assembleia.

O desgaste de Flávio Dino pode ser visto em seu perfil nas redes sociais e nas declarações de aliados a jornais, blogs e rádios. Mas para o principal auxiliar do governador, o chefe da Articulação Política, Márcio Jerry, tudo continua como na lua de mel.

"Governador Flávio Dino tem imagem muito positiva, sem nenhum arranhão. Cumpre o mandato que o povo lhe concedeu com destemor, trabalho intenso, capacidade e atenção prioritária aos setores sociais que mais precisam", discursa Jerry, sempre que confrontado com as informações de rebeldia entre aliados e críticas de apoiadores.Contraponto ­ A opinião do secretário de Articulação Política vai de encontro ao que se vê nas redes sociais.

Um exemplo ocorreu no último fim de semana, quando Flávio Dino se envolveu em uma crise histórica com a Igreja Católica, ao acusar um padre de ter recebido "mensalinho" do governo anterior. Além do repúdio da Arquidiocese de São Luís, da Pastoral Carcerária, da Comissão Justiça Paz da Sociedade Maranhense de Defesa dos Direitos humanos, o governador foi confrontado por internautas, ao tentar se justificar nas redes sociais.

"Não existe governo. No meu entender, Flávio Dino está totalmente perdido e não sabe o que fazer. Ele não desceu do palanque, vive de falar do governo passado e não encara a responsabilidade como deveria. É despreparado, não tem experiência, e, com essa falta, já se perdeu completamente no início do governo" João Alberto de Sousa, senador.

Flávio Dino tem enfrentado problemas também com aliados, incluindo na lista, inclusive, o padrinho político e ex­- governador José Reinaldo Tavares (PSB). Afastado do governo, Tavares tem reclamado aos colegas parlamentares em Brasília do esvaziamento do sobrinho, o chefe da Casa Civil Marcelo Tavares. Segundo apurou O Estado, ele já teria pedido a Marcelo que deixe o cargo, para o qual não consegue sequer nomear uma secretária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário