segunda-feira, 10 de agosto de 2015

José Joaquim tem indicação contribuindo para aperfeiçoar legislação da terceirização

O vereador José Joaquim (PSDB) está com uma indicação tramitando na Câmara Municipal de São Luís, com previsão para ser apreciada na próxima semana, tratando sobre o aperfeiçoamento do PLC 30/2015, dispondo sobre a questão da terceirização. 

O parlamentar social democrata pede que sua proposição seja encaminhada ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), e aos membros da bancada maranhense, senadores Edison Lobão, João Alberto (ambos PMDB) e Roberto Rocha (PSB), no sentido de ombrear-se nesta batalha.

Em sua justificativa o vereador argumenta está apresentando sua proposta “considerando a importância do aperfeiçoamento do ambiente de negócios, equilibrando a devida proteção ao trabalhador com estímulo às empresas e ao desenvolvimento da economia”. Para completar ele enfatiza a necessidade de conversação com entidades de trabalhadores e empresariais “com o intuito de produzir uma legislação eficaz onde não haja prejudicados”, assinala.

Continuando, José Joaquim ressalta o momento de dificuldades e até de crise político-econômica que o País atravessa, destacando ser preciso criar uma política eficiente de apoio ao empresariado e estimular investimentos para o setor produtivo. “Pois o que estamos presenciando hoje é o fechamento de negócios e a redução da produção nacional atingindo a todos os segmentos, o que é uma situação muito difícil, que urge uma tomada de providências para a sua reversão”, analisa o vereador tucano.

TAPA BURACO

Já por meio do requerimento 398/2015 José Joaquim pede o encaminhamento de ofício ao prefeito Edivaldo Holanda Junior e ao secretário de Obras e Serviços Públicos, solicitando que seja feita a recuperação asfáltica da Rua 11 – Quadra E do Conjunto Coelho Neto, bairro do Calhau, tendo como ponto de referência o terminal de ônibus da Cohama. “Acrescente-se que se faz necessário uma certa urgência o atendimento deste pleito, pois existem buracos no pavimento atual que podem tornar a via intrafegável”, finaliza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário