Banner da Prefeitura de São Luís

Banner da Prefeitura de São Luís

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

O efeito fermento de Lula


Os cientistas políticos ainda estão batendo cabeça para tentar explicar o que mantém o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no seio do povo, mesmo sendo espancado e denunciado todos os dias na grande mídia nacional como o principal alvo da Operação Lava Jato da Polícia Federal. Além disso, esses mesmos cientistas não sabem explicar por que ele continua na liderança das pesquisas de intenções de votos para as eleições gerais de 2018, na corrida sucessória ao Palácio do Planalto.

Vale ressaltar que a mais recente pesquisa do instituto Datafolha, encomendada pelo jornal Folha de São Paulo, divulgada na última segunda-feira, 12, trouxe mais uma vez o ex-presidente na frente. Lula aparece com 25% das intenções de votos, seguido de Marina Silva (Rede) com 15%, o senador Aécio Neves (PSDB) com 11%, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) com 9%, Ciro Gomes (PDT) com 5%, o atual presidente da República Michel Temer (PMDB) com 4%, Luciana Genro (PSOL) com 2%, Ronaldo Caiado (DEM) com 2%, Eduardo Jorge (PV) com 1%, Branco/Nulo 20% e Não Sabe 6%.

A pesquisa tem margem de erro de dois pontos percentuais para cima ou para baixo e índice de confiança de 95%. O Datafolha ouviu 2.828 pessoas nos dias 7 e 8 de dezembro.

Lula também lidera em outros três cenários de primeiro turno simulados pela pesquisa. Em um desses cenários a pesquisa acrescentou o governador Geraldo Alckmin (PSDB). Ele fica com 8%. Marina tem 17% e Lula tem 26%.

No cenário com o ministro das Relações Exteriores José Serra (PSDB), o tucano aparece com 9%. Marina com 16% e Lula com 25%.

Com informações do G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário