Comercial da Prefeitura de São Luís

Comercial da Prefeitura de São Luís

terça-feira, 28 de março de 2017

"População pode perder benefício dos ônibus especiais fúnebres", diz líder comunitário


O líder comunitário da área Itaqui-Bacanga, Sebastião Santos (foto), está cobrando do secretário municipal de Trânsito e Transportes, Canindé Barros, mais atenção com relação ao benefício do atendimento gratuito dos ônibus especiais que são destinados para acompanhar funerais de pessoas carentes em São Luís. Segundo ele, essa prerrogativa pode estar com os dias contados, depois da implantação do processo licitatório no setor.

Em sua pagina no Facebook, Sebastião Santos (ler abaixo) avalia que seria um retrocesso por parte do poder público municipal mexer nesse benefício social conquistado com muito suor e duras penas pelas comunidades da capital, em especial na área Itaqui-Bacanga.


O porque mexer em um benefício social que apesar de nunca ter sido homologado formalmente dentro dos trâmites legislativo e executivo, mas pelo mérito e puro sangue das comunidades, São Luís era beneficiada há 26 anos com o 🚌ATENDIMENTO GRATUITO COM OS ÔNIBUS ESPECIAIS FUNERAIS🚌. Essa conquista aconteceu em 1990 na área Itaqui-Bacanga pelo Movimento MACAIB que poderia estar completando os 27 anos de atendimento social. O pior é que até ainda na gestão do ex prefeito e já falecido João Castelo, a nossa conquista contemplaria além dos ônibus funerais, éramos atendidos também com os 🚌ESPECIAIS GRATUITOS🚌 para a CULTURA POPULAR, para os EVENTOS GOSPEL e para as COLÔNIAS DE FÉRIAS DAS ESCOLAS.

Na licitação do novo sistema feito ano passado, o MACAIB acompanhou algumas audiências e ficou atento para que não mexesse no 🚌ATENDIMENTO GRATUITO🚌 referente aos ÔNIBUS ESPECIAIS FÚNEBRES, ficando certo incluso na minuta do edital que teríamos o retorno dos ônibus especiais para as mais áreas além da permanência com mais segurança dos 🚌ÔNIBUS ESPECIAIS FUNERAIS🚌, acordo firmado pela SMTT como agente público com o MACAIB na qualidade de representante da sociedade civil que forçou esse acerto coletivo nas ultimas mesas redondas na SMTT com a presença do sindicato de classe do sistema, ou seja, do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros Coletivos – SET São Luís para confirmar a garantia da permanência nem que fosse por enquanto dos 🚌ÔNIBUS ESPECIAIS PARA FUNERAIS🚌 dentro de um intervalo de todas as formalidades legais homologadas futuramente. 

Bravos e bravas, por nossa surpresa, 99% dos cortejos de São Luís nas suas principais periferias, estão desassistidos deste atendimento social pelo agente público por pressão exclusivamente do novo sistema privado que se opõe a colocar os ônibus de apoio conforme acordo firmado para esse atendimento, ficando no presente só três ônibus de apoio nos terminais sendo um para atender em último caso um especial gratuito à comunidade e os outros dois, ficam para dar suporte aos horários de pique dentro dos terminais atendendo as necessidades particulares e emergenciais lucrativos do sistema privado, e a comunidade que se exploda, pois no Terminal da Praia Grande nem que ficasse os três ônibus de apoio, mas não daria pra atender as necessidades dos 58 bairros da área Itaqui-Bacanga e mais 190 da área Centro. 

Diante do fato exposto, o MACAIB como sociedade civil junto comigo e as demais lideranças comunitárias de São Luís e segmentos organizados que inspiram independência, que não se acovardam às pressões do poder público e privado, estamos propondo formalmente um desafio ao poder executivo e legislativo da capital para agirmos de imediato à homologação oficial deste atendimento social, se estendendo além dos 🚌ESPECIAIS FÚNEBRES🚌 às demais áreas de caráter beneficente e social às comunidades de nossa querida São Luís. 

Portanto, desde já fiquem todas as comunidades de São Luís atentas à respeito dos instrumentos já em tramitação com os alertas gerais para as convocações da sociedade civil organizada que não vai permitir a perda de uma conquista alcançada no impulso popular no mais puro mérito e puro sangue das comunidades há 26 anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário