anúncio no blog

anúncio no blog

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Vão tentar puxar o tapete de Braide na disputa ao governo


Diz o ditado popular que quem avisa amigo é! Tanto o grupo ligado ao governador Flávio Dino (PCdoB) quanto o grupo aliado à ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) ainda vão tentar "puxar o tapete" do deputado estadual Eduardo Braide (PMN/foto), caso o parlamentar cogite a possibilidade de sair candidato ao governo do Maranhão, em 2018.

Isso porque de um lado, a turma de Dino prefere que a eleição fique polarizada com a ex-governadora. O mesmo pensamento vem sendo defendido nas hotes do grupo Sarney. Ambos os nichos vêm tentando conquistar o eleitorado maranhense mirando sempre em um paralelo governamental de quem fez mais ou menos pelo estado. Numa espécie de comparação para alavancar platéia.

Já o nome de Braide, por ainda ser uma referência nova e leve na política, pode vir a decolar no seio do eleitorado, que busca uma alternativa para não votar nem na turma comuna de Dino, nem na velha experiência do grupo de Roseana.

O nome de Braide vem crescendo como alternativa, tanto que em recente pesquisa de intenções de votos do Instituto Perfil, divulgada nesta quarta-feira, 20, o deputado já aparece na frente de Dino com 20,8% das intenções de votos. Flávio Dino (20,3%) e Roseana Sarney (17,4%).

Prefeitura terá de suspender pregão para fornecimento de merenda escolar

A Prefeitura de Santa Rita terá que suspender, em caráter imediato, o Pregão Presencial nº 032/2017, cuja finalidade é a contratação de empresa para fornecimento de gêneros alimentícios para compor o cardápio da merenda escolar das unidades de ensino do município. A solicitação foi feita pela Promotoria de Justiça da Comarca de Santa Rita que no último dia 17, por meio de Ação Civil Pública, com pedido liminar. A manifestação foi proposta pelo promotor de justiça, Tiago Carvalho Rohrr, que está respondendo pela comarca.

O Ministério Público do Maranhão atestou que a referida licitação não se encontra em consonância com a legislação, após receber denúncia formulada por uma empresa, cujo teor apontou que o edital do procedimento licitatório restringe a competitividade, limitando a participação de micro e pequenas empresas. De acordo com o documento, só podem competir as empresas do tipo que estejam sediadas em Santa Rita. O edital do certame foi lançado no dia 6 de julho.

Conforme destacou o promotor de justiça, na ação, o critério de localização geográfica do licitante só é admitido, excepcionalmente, quando tal requisito for indispensável à execução do contrato. “No caso em apreço não se observa qualquer dificuldade quanto à execução do contrato pelo fato de a empresa não ter sua sede em Santa Rita”, afirmou Tiago Carvalho Rohrr.

A representação da empresa questionou também os preços constantes no Termo de Referência, considerados inexequíveis. “Os agentes públicos não podem restringir o caráter competitivo do processo licitatório. O ato convocatório da licitação deve admitir a participação de todos os interessados, devendo vencer aquele que tiver a proposta mais vantajosa”, frisou.

Em caso de descumprimento da suspensão do pregão presencial, a Promotoria de Justiça da Comarca de Santa Rita sugeriu o estabelecimento de multa diária no valor de R$ 10 mil. O MPMA pediu, ainda, a anulação definitiva da licitação.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

As movimentações bancárias de Edilázio a Nelma Sarney


O deputado estadual Edilázio Junior (PV) terá de explicar o por quê da movimentação atípica de R$ 6 milhões em uma conta bancária, constatada pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF). Entre as movimentações feitas pelo nobre parlamentar ecológico eis que aparece o nome da sua sogra, a desembargadora Nelma Sarney, do Tribunal de Justiça do Maranhão.

Segundo informações do Jornal Pequeno, o COAF enviou o relatório de investigação financeira de número 11.581 para o Ministério Público Federal, a Polícia Federal e ao Ministério Público Estadual. O MPF e o MP instauram procedimentos para apurar as diversas ocorrências de movimentações financeiras suspeitas de Edilázio Júnior, entre elas um depósito em dinheiro de R$ 123 mil na conta da sogra e desembargadora Nelma Sarney.

Tanto Nelma Sarney quanto Edilázio Júnior puseram a culpa pelo depósito em Raimunda Célia Moraes, ex-gerente do Bradesco, acusada de agiotagem, estelionato e apropriação indébita contra clientes do banco, e que havia sido gerente da conta dos dois.

Na semana passada, o MP teve negado pela Justiça estadual o pedido de quebra de sigilo bancário da desembargadora. A ação resultou numa crise entre o Ministério Público e a Justiça estadual.

Senadora Gleisi Hoffman irá desembarcar em São Luís no sábado


O presidente do Partido dos Trabalhadores em São Luís, vereador Honorato Fernandes, destacou o desembarque na capital maranhense da presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffman, previsto para o próximo sábado, 22, onde a dirigente participará da inauguração da nova sede da legenda na cidade, situada na rua dos Jambos, Quadra 70, casa 18, no bairro Renascença.

Honorato informou ainda que a presidente do PT também se reunirá com lideranças petistas pra traçar uma agenda em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado a 9 anos e 6 meses de prisão, em primeira instância, pelo juiz federal Sérgio Moro.

"A inauguração da nova sede do PT e vinda da senadora Gleisi Hoffman contará com uma vasta programação cultural em defesa do ex-presidente Lula, pelos direitos sociais e contra as reformas do presidente Michel Temer", declarou o vereador Honorato Fernandes.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Zé Reinaldo pode ir para o DEM ou PMDB


O deputado federal José Reinaldo Tavares (PSB/foto), que pretende disputar uma cadeira ao Senado, nas eleições gerais de 2018, pode deixar as hostes socialistas para ingressar no DEM ou no PMDB. Tudo vai depender das novas articulações na legenda junto ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) ou ao presidente da República, Michel Temer (PMDB).

É que deputados do PSB estariam sendo cooptados pelo presidente da Câmara para engrossar a bancada da legenda democrata na Casa. Na tentativa de frear uma ação nefasta de Rodrigo Maia, Temer já articula levar os insatisfeitos do PSB para o reduto conservador do PMDB.

É nesse contexto político que se encontra o deputado e ex-governador do Maranhão, Zé Reinaldo. Se depender de seu aliado e afilhado político, o governador Flávio Dino (PCdoB), o parlamentar poderia desembarcar nas hostes do Democratas, já que Dino é adversário do presidente Michel Temer, que tem como consultor e amigo o velho cacique, ex-senador e ex-presidente José Sarney.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Tá explicado! Senadores-empresários maranhenses tinham que votar a favor da reforma trabalhista de Temer


Está mais do que claro por que os senadores da bancada maranhense, João Alberto (PMDB), Edison Lobão (PMDB) e Roberto Rocha (PSB) não podiam mesmo votar contra a proposta da reforma trabalhista do presidente Michel Temer (PMDB), aprovada na semana passada e já sancionada. 

Isso porque os nobres parlamentares compõem um conjunto de 50 senadores-empresários na Casa, que têm participações societárias em corporações diversas, ações ou possuem alguma empresa ou fazenda em seus nomes.

E os representantes do Maranhão não são diferentes dos demais que apoiaram Temer. Os dados constam de levantamento exclusivo do site Congresso em Foco junto aos registros de candidatura de cada um deles junto à Justiça Eleitoral (veja listas e valores dos bens abaixo), referentes às duas eleições passadas (2010 e 2014):

Veja abaixo lista dos senadores-empresários maranhenses


Edison Lobão (PMDB-MA)

Bny Mellon Serviços Financeiros Dtvm S/A Cnpj 02.201.501/0001-61 Ip Value Hedfe Fia – R$200.000,00
Ações Ordinarias Do Banco Do Brasil Adquiridas Na Data 02 De Maio De 2006 Conforme Contrato De Compra E Venda De Ações De Emissão Do Banco Do Braisl S/A (Investidores Não Institucionais) – R$ 315.617,00
Ações16% Destilaria Caiman – R$ 286.643,34
Ações Preferenciais Escrituras Da Empresa Petrolio – R$31.400,03
Bny Mellon Serviços Financeiros Dtvm S/A Cnpj 02.201.501/0001-61 Ip Participações Fia – R$200.000,00


João Alberto Souza (PMDB-MA)

Lote De Terreno Com 9840 Metro Quadrados No Emprendimento Fazendinha Do Paço – R$5.000,00


Roberto Rocha (PSB-MA)

Ações Ordinárias Da Lr Empreendimentos – R$125.899,58
Participação No Capital Social Da Cindel Empreendimentos – R$2.500,00
Ações Ordinárias Da Agropecuária São Luís – R$23.211,72
Participação Na Empresa Rádio E Tefevisão Novo Eldorado – R$1,00
Participação Na Empresa Rádio Vale De Televisão – R$640,00

Ex-juiz da Ficha Limpa diz que Emenda Lula é "cavalo de troia"


O advogado do Rede e ex-juiz Márlon Reis, considerado um dos autores da Lei da Ficha Limpa, vem criticando a postura do deputado federal Vicente Cândido (PT-SP), por ter o parlamentar proposto incluir em seu relatório, na comissão que discute a reforma política na Câmara dos Deputados, a proibição de prisão de candidatos pré-habilitados a disputar eleições até oito meses antes das votações.

Para Márlon Reis, a proposta do parlamentar paulista é "injustificável", semelhante a um "cavalo de troia". Ele até defende a medida de antecipar a habilitação dos candidatos, afirmando que é uma maneira de evitar que a discussão sobre quais têm condições de elegibilidade aconteça apenas após o registro da candidatura. “O problema é dizer que um candidato, a partir daí, não pode mais ser preso”, diz o advogado.

“Na verdade, é um cavalo de troia, porque vem com uma capa de algo que já vinha sendo reivindicado pelo movimento contra a corrupção eleitoral, a antecipação da habilitação, mas isso vem junto com uma outra medida extremamente negativa e injustificável”, afirma.

Do blog com informações do Estadão

domingo, 16 de julho de 2017

Eliziane de olho na candidatura de Marina à presidência


A deputada federal Eliziane Gama (PPS) aposta em uma eventual pré-candidatura de Marina Silva (Rede) à Presidência da República, em 2018, para alavancar sua provável candidatura ao Senado, passando também pelo apoio do governador Flávio Dino (PCdoB).

A tática de Eliziane pode ser confirmada no decorrer desta semana já que, após a condenação do ex-presidente Lula (PT) a 9 anos e 6 meses de prisão, pelo juiz federal Sérgio Moro, Marina Silva chamou líderes do Rede no Congresso, para falar sobre sua candidatura à presidência e montar uma agenda de trabalho na condição de pré-candidata.

Eliziane espera manter conversas com Marina para engrossar o coro de apoio ao Rede, apostando todas as fichas em Marina Silva, o que pode lhe render dividendos futuros no Maranhão.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Waldir Maranhão pode se filiar no PT com apoio de Lula


Mesmo estando o PT nacional na linha de fogo cruzado da justiça, eis que o deputado federal Waldir Maranhão (PP) persegue a ideia de se filiar nas hostes petistas, alegando que já teria recebido até o convite do ex-presidente Lula, recém-condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Vale lembrar que durante o processo de impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT), Waldir Maranhão, sob supostas ordens do aliado governador Flávio Dino (PCdoB), protagonizou a maior trapalhada na Câmara dos Deputados, ao tentar derrubar o processo contra o afastamento da presidente petista, fato que acabou manchando ainda mais a imagem desgastada do parlamentar maranhense no cenário político.

Agora, Waldir mandou a fatura para Lula e espera receber em troca todo apoio do ex-presidente e do governador Dino na sua clara intenção de vencer as eleições a uma das duas vagas ao Senado, em 2018, pelo Maranhão.

Durma com um barulho desses! 

Desembargador maranhense diz que não havia justificativa para manter Gedel na cadeia


Causou surpresa e estarrecimento a decisão tomada pelo desembargador maranhense Ney Bello (foto), do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), que autorizou o ex-ministro Geddel Vieira Lima a deixar o Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, para cumprir prisão domiciliar. 

Além da prisão domiciliar, o desembargador determinou que Geddel não pode ter contato com outros investigados e deverá utilizar tornozeleira eletrônica ao deixar a Papuda.

"Não há justificativa plausível para a prisão preventiva em cárcere e a demora na decisão acarreta limitação irreversível à liberdade do paciente [Geddel] porque não há justificativa no direito positivo para mantê-lo encarcerado."

Considerado um dos políticos mais próximos ao presidente Michel Temer, Geddel foi preso preventivamente pela Polícia Federal (PF) no início do mês, em Salvador, por suspeita de obstrução da Justiça. Dois dias após a detenção, o ex-ministro da Secretaria de Governo (articulação política) foi transferido para o Distrito Federal.

Geddel foi preso por suspeita de atrapalhar as investigações da Operação Cui Bono, que apura supostas fraudes na liberação de crédito da Caixa Econômica Federal.

A investigação se concentra no período em que Geddel ocupou o cargo de vice-presidente da Caixa. À época, ele assumiu o cargo na cúpula do banco público por indicação do PMDB, que era sócio do PT no governo federal.

A apuração do envolvimento de Geddel com as irregularidades cometidas na Caixa foi motivada por mensagens de texto registradas em um aparelho de telefone celular apreendido na casa do então deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está preso em Curitiba pela Operação Lava Jato.

Do blog com informações do G1

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Vereador do PT critica condenação de Lula nas redes sociais


O líder do PT na Câmara Municipal de São Luís, vereador Honorato Fernandes (foto), usou sua página no Facebook, para prestar solidariedade ao ex-presidente Lula, condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses de prisão, sob acusação de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

"A sentença de condenação de Lula a 9 anos de prisão é algo ridículo e injusto. Além disso , representa um problema para toda sociedade que acredita na democracia e verifica nesse ato de um falso justiceiro a tentativa de consolidar o estado de exceção no nosso país. Quem condena sem provas e tem o dever de efetivar a justiça é mais criminoso que qualquer assalte de banco", declarou Honorato Fernandes.

O vereador ainda disparou três Hashtags na postagem:

# A verdade vencerá a mentira 
# A injustiça cairá 
# Estou contigo Presidente

Qual a intenção do governo em privatizar a Caema?


Um questionamento momentâneo que não quer calar: Qual seria mesmo a intenção do governador Flávio Dino (PCdoB) em privatizar a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA). O pior é que o órgão possui uma enorme dívida patrimonial ainda não revelada. E quem hoje estaria interessado em adquirir e gerenciar um estorvo desses?

Esse mesmo questionamento foi feito na sessão da última quarta-feira, 12, no plenário da Assembleia Legislativa pelo deputado estadual Eduardo Braide (PMN). Na oportunidade, o parlamentar apresentou requerimento à Mesa Diretora da Casa, solicitando detalhes técnicos convincentes ao governo sobre a real intenção de Flávio Dino em privatizar a Caema.

O parlamentar aproveitou ainda para questionar a contratação pelo BNDES, da “prestação de serviços técnicos especializados ao processo de desestatização dos serviços de saneamento básico”, executados no estado, pela Companhia.

“O nosso dever enquanto deputado é descobrir qual a intenção do Governo do Estado sobre a Caema. Se a intenção é privatizar, quem primeiro deveria saber disso, seriam os trabalhadores da Companhia, que acabam ficando na incerteza, apreensivos, com futuro da empresa. E com a contratação de serviços para a consulta e preparação de desestatização da Caema, torna-se necessária uma posição oficial por parte do governo do estado sobre o assunto”, afirmou Eduardo Braide.

O serviço técnico para consulta e preparação de desestatização da Caema é objeto da licitação realizada pelo BNDES, por meio do edital n° 16/2017, já tendo uma empresa vencedora do processo. “O edital do pregão eletrônico Nº 16/2017 do BNDES, no seu item 11.1.1, que trata do pagamento, é claro ao estabelecer que a conclusão de uma das etapas do serviço, só ocorrerá, quando da assinatura do contrato de desestatização decorrente da licitação do projeto. Com isso, a licitação não deixa dúvidas quanto a real intenção de privatizar a Caema”, informou o deputado Eduardo Braide.

A prisão de Lula e os protestos de rua


Movimentos sociais ligados ao Partido dos Trabalhadores, em todo o Brasil, já articulam um farto número de manifestações contrárias à decisão do juiz Sérgio Moro, de Curitiba, determinando em primeira instancia a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A questão na pauta é fazer uma série de protestos nas principais capitais e em todas regiões do país.

Após saber da sentença de 9 anos e 6 meses de reclusão, o ex-presidente Lula manteve conversas com aliados, onde deixou bem claro: "Não vou esmorecer". Nos bastidores, o PT não fala ainda em Plano B para as eleições de 2018. A cúpula do partido acredita que a decisão de Moro vai estimular a comparação das ações de Lula com escândalos políticos recentes vividos no país.

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Marcial Lima faz balanço dos seis primeiros meses de mandato na Câmara


O líder do PEN na Câmara Municipal de São Luís, vereador Marcial Lima (foto), aproveitou a sessão desta quarta-feira, 12, para fazer uma prestação de contas dos seus primeiros seis meses de mandato eletivo na Casa. Na oportunidade, ele destacou que fazer essa prestação de contas é o seu dever  como homem público.

"Nosso mandato começou com muita humildade. Nossa caminhada até aqui foi do início ao fim em prol da população. Discutimos com as categorias dos taxistas, com os trabalhadores rodoviários, com os moradores dos condomínios Minha Casa, Minha Vida, num claro respeito à moradia, mas com infraestrutura de creches e escolas. Vejo hoje que o governo do estado já está dizendo que pode melhorar esse programa de moradia na capital", declarou.

Marcial Lima disse ainda que esteve discutindo com as comunidades do pólo Sacavém, do Filipinho e de outros bairros. Temos feito uma queixa histórica no aspecto da necessidade de melhoria da nossa malha viária e esse assunto deve ser discutido amplamente não só nesta Câmara Municipal, mas também na Assembleia Legislativa", enfatizou.

Ele destacou que nesse período propôs a discussão da melhoria das praças públicas de São Luís e dos museus da cidade que ficam fechados, em especial nos fins de semana. Um exemplo maior de que é preciso mudar essa realidade é o sucesso protagonizado aos domingos pela feirinha de iniciativa do secretário Ivaldo Rodrigues (Abastecimento) que reúne grande público", enfatizou.

Marcial Lima acrescentou que avançou na discussão da valorização da cultura local, que deve ser descentralizada. "Debatemos sim a questão da cultura de São Luís, que ainda não foi descentralizada neste São João. É preciso que haja a descentralização das nossas brincadeiras. Além disso, debatemos a privatização do nosso São João", pontuou.

O vereador relacionou outros temas em questão que foram abordados como a violência no transporte coletivo, a precariedade na educação do município, cobrando respostas para o setor. Além disso, cobramos da saúde e até fomos mal interpretados nesta Casa quando mencionamos o corte de R$ 2 milhões para o setor", destacou.

Ao final, o parlamentar Lima resumiu que a simplicidade e a humildade dessa luta tem que ser dividida com a população de São Luís. "População esta que acreditou em meu trabalho como vereador da capital. Me elegi com 5.007 votos por todos que aqui moram e adotaram esse município para viver", frisou.

Quanto de emenda cu$tou o voto de Cleber Verde ao presidente Temer?


O troca-troca na base da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Federal continua a todo vapor. O mais novo entra e sai foi protagonizado na última terça-feira, 11, pelo deputado maranhense Cleber Verde (PRB), que se juntou aos demais 65 membros do colegiado, que avaliam se aceitam ou não a denúncia-crime contra o presidente da República, Michel Temer (PMDB), apresentada pelo procurador-geral Rodrigo Janot.

No entanto, no placar dos parlamentares favoráveis ou não à aceitação da denúncia de corrupção passiva contra o presidente na Casa, o deputado Cleber Verde ainda aparece na condição de indeciso. Ao que tudo indica, o nobre parlamentar, ligado às hostes da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), vai deixar para a última hora a definição sobre o seu voto.

Pelo placar atualizado, 21 deputados já se manifestaram favorável à denúncia, 15 contra e 30 ainda estão indefinidos.

Alguém acreditou que ia ser diferente?


Estava mais do que na cara que a bancada de senadores maranhenses não iria ficar contrária ao projeto de reforma trabalhista, de iniciativa do governo do presidente Michel Temer (PMDB). Tanto João Alberto (PMDB) quanto Edison Lobão (PMDB) e Roberto Rocha (PSB) não deram, sequer, um pio em relação à proposta governista, que alterou mais de 100 pontos da carcomida Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), de 1943, autorizando o trabalho intermitente, dividindo as férias em três períodos, reduzindo o horário de almoço em apenas meia-hora e garantindo que os acordos coletivos, entre patrões e empregados, tenham força de lei.

Conforme críticos, tamanha liberalidade, permitirá inúmeras negociações que reduzirão bastante os direitos trabalhistas. Já os defensores da reforma do governo amenizam o discurso raivoso da oposição, justificando que a proposta atualiza uma legislação envelhecida e protecionista, abrindo novas expectativas no mercado para a geração de mais emprego e renda.

Vale ressaltar que o texto original da reforma trabalhista foi encaminhado no início deste ano ao Congresso Nacional, sendo aprovado pela maioria na Câmara Federal e em seguida, aprovado no Senado. Segue agora para a sanção do presidente Michel Temer antes de ser publicado e entrar em vigor.

As alterações na legislação trabalhista começam a valer quatro meses após publicação no Diário Oficial da União (DOU).

terça-feira, 11 de julho de 2017

Sarney Filho aposta na salvação e quer o apoio de Temer para o Senado em 2018


Mesmo estando todo enrolado em denúncia de corrupção passiva na Lava Jato, a figura do presidente da República, Michel Temer (PMDB), ainda é a vitrine principal para o ministro de Meio Ambiente, Sarney Filho (PV), que pretende viabilizar sua candidatura ao Senado, nas eleições de 2018, no Maranhão. Ao que tudo indica, o ministro ecológico pode vir até a trocar de partido, podendo escolher o ninho tucano do PSDB ou desembarcar no PMDB.

Sarney Filho já bateu o martelo e garantiu que não abre mão em disputar uma das duas vagas ao Senado, no próximo pleito. No entanto, o ministro tem se mantido longe do fogo cruzado que atinge em cheio o presidente Temer, procurando observar os desdobramentos das fortes denúncias que pairam sobre o chefe da Nação, direcionadas pelo Procurador-Geral Rodrigo Janot, que vai fazendo estragos na blindagem do PMDB.

Em pré-campanha anunciada, Sarney Filho, continua percorrendo os municípios maranhenses na certeza de se cacifar e galgar uma nova projeção política no estado.

Juscelino ainda sonha com Rodrigo Maia no lugar de Temer


O deputado federal da bancada maranhense, Juscelino Filho (DEM/foto), continua entre os 36 parlamentares indefinidos na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) sobre a aceitação ou não da denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer (PMDB) por corrupção passiva, no âmbito da Lava Jato. Um conjunto de 21 deputados já se manifestaram a favor da denúncia e apenas 9 contra. 

A indefinição de membros da bancada do DEM se deve à possibilidade do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, assumir a cadeira de Presidente da República no caso de afastamento de Michel Temer. Nessa hipótese outro parlamentar maranhense, o vice-presidente André Fufuca (PP), deve assumir a cadeira principal da Casa, por ser o sucessor natural de Maia. 

Na tarde da segunda-feira, 10, o deputado federal Sergio Zveiter (PMDB-RJ), relator da denúncia contra Michel Temer (PMDB) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), defendeu a aceitação pela Câmara da acusação apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR). “A denúncia é grave”, disse o relator. Apesar de ser do mesmo partido do presidente, Zveiter já era considerado um parlamentar de atuação independente, provocando o temor na base aliada de que poderia adotar essa posição diante da denúncia.

“O que está em discussão não é o direito individual do presidente, mas Presidência da República, daí a necessidade de se fazer uma analise criteriosa do conjunto dos indícios colhidos no inquérito”, afirmou. “Por tudo o que vimos e ouvimos, não é fantasiosa a acusação. É o que temos e o que deve ser apurado”, disse.

A previsão é que até esta quarta-feira, 12, devem ser iniciados os debates, onde os 66 titulares da CCJ e 66 suplentes terão direito á fala. Os líderes partidários também podem se manifestar a qualquer momento. A expectativa é que a Comissão analise o relatório de Zveiter até a próxima sexta-feira, em votação simbólica que pode influenciar a decisão do plenário. Lá, o parecer do parlamentar precisa do apoio de 342 dos 513 deputados para ser aprovado, em votação nominal e aberta.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Marcial Lima lamenta morte de agente penitenciário e chama atenção do Judiciário para a soltura indiscriminada de presos perigosos


O líder do PEN na Câmara Municipal de São Luís, vereador Marcial Lima (foto), usou a tribuna da Casa para lamentar o episódio de mais um caso de assassinato na Avenida Litorânea. O parlamentar fez referência aos disparos de arma de fogo que levaram à morte do agente penitenciário temporário, Jorge Luís Lobo da Cunha, 38 anos, que era lotado no Centro de Detenção Provisória (CDP), em Pedrinhas,  e foi alvo de mais uma pessoa do submundo do crime que se encontrava em liberdade. 

"Quem matou o agente penitenciário (Idael Melo Roxo) tem um histórico e um perfil de criminoso e pode ser um maníaco, e que pode ter matado outro agente penitenciário, no bairro do ANil. Como uma pessoa dessa está em liberdade, tirando a vida de um pai de família, um trabalhador?", indagou Marcial Lima. Na oportunidade, ele lembrou do assassinato do jornalista Décio Sá. "Tivemos um colega morto na Avenida Litorânea, que foi o jornalista Décio Sá", complementou.

Marcial destacou o empenho do sistema de segurança, pois logo depois do fato consumado, a polícia entrou em ação e conseguiu prender o suposto homicida. "Que se analise essa soltura de criminosos. Mais de 70% dos crimes de homicídio ou latrocínio são cometidos por alguém que já passou por uma unidade prisional. Fica aqui o alerta ao Poder Judiciário para que possa acompanhar esse caso com muita atenção", advertiu o vereador.

"As lanças e as armas estão apontadas diretamente pra mim", diz Astro de Ogum


O presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Astro de Ogum (PR/foto), usou a tribuna da Casa nesta segunda-feira, 10, para desmontar uma farsa política que vem sendo orquestrada na imprensa (leia-se jornal O Estado do Maranhão) sobre eventuais intrigas que ele teria com o vice-presidente Osmar Filho (PDT). "Não estou aqui em disputa para presidência da Câmara de São Luís. Aconteça o que acontecer a minha amizade com Vossa Excelência (vereador Osmar Filho) será sempre a mesma. Considero aqui nesta Casa todos como amigos e amigas", declarou.

Na oportunidade, Astro ressaltou que preferia tratar daquilo que foi dito por ele antes da campanha à Mesa Diretora. "Me elegi presidente desta Câmara com o propósito de revitalizar, reorganizar e adequar esta Casa. Não estou desprezando nenhum colega. Quero dizer à toda imprensa que não é presidência de Câmara que vai fazer inimizade com o vereador Osmar Filho. Temos uma amizade muito boa", frisou.

Astro reafirmou não estar pretendendo disputar nada na Casa. "Quem está pensando nisso, está completamente errado. Estou nesta Casa em nome das minorias. Isso incomoda bastante, eu sei disso. As lanças e as armas estão apontadas diretamente pra mim. Eu sei disso. Quando cheguei nesta Casa, passei dois meses como se estivesse na escolinha do Professor Raimundo. Tinham intelectuais aqui e só depois de dois meses é que usei a tribuna pela primeira vez. Aprendi muito com os ex-presidentes Francisco Carvalho, Ivan Sarney e Pereirinha e outros vereadores", enfatizou.

"Precisamos refletir a política no nosso país e no Maranhão", diz Maura Jorge


A ex-prefeita de Lago da Pedra e ex-deputada estadual Maura Jorge (Podemos) esteve nesta segunda-feira, 10, no programa Bom Dia Maranhão, da TV Difusora, para falar sobre o lançamento de sua pré-candidatura ao governo do estado, ocorrida no último fim de semana. Ela reafirmou que esse novo projeto em sua vida é fruto do vácuo político aberto no Maranhão. 

Segundo Maura Jorge, sua pré-candidatura trará mais uma alternativa para que o povo possa ter a oportunidade de escolher o melhor candidato que possa gerenciar o Palácio dos Leões após a eleição de 2018. Além da ex-prefeita, figuram como pré-candidatos o governador Flávio Dino (PCdoB), que busca a reeleição, e a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) que tenta voltar ao comando do Maranhão.

sábado, 8 de julho de 2017

Deputado do PCdoB garante apoiar denúncia contra Temer na CCJ


O deputado federal Rubens Pereira Junior (PCdoB/foto) já manifestou publicamente que votará a favor do recebimento da denúncia de corrupção passiva, do procurador-geral Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer (PMDB). Ele faz parte do conjunto de 66 parlamentares que compõem a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que analisa a denúncia na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Já o deputado Juscelino Filho (DEM) ainda mantém segredo sobre sua posição perante o acolhimento ou não da denúncia. O parlamentar maranhense também integra a CCJ que analisa o caso de eventual crime que possa ter cometido o presidente da República, no exercício do mandato.

Após o prazo regimental de dez sessões plenárias para apresentação da defesa, haverá mais cinco sessões para que o relatório seja votado no colegiado. São necessários 34 votos na CCJ para aprovar o parecer do relator. Independente do resultado a denúncia segue para o plenário da Câmara.

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Marcio Jerry desdenha da candidatura Roseana Sarney em 2018


O secretário de estado de Comunicação e Assuntos Políticos, Marcio Jerry (PCdoB/foto), vem desdenhando da possibilidade da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) vir a ser adversária do governador Flávio Dino (PCdoB) na disputa eleitoral de 2018 ao Palácio dos Leões. Em recente entrevista o blog do Carlos Gaby, Jerry mostra desconhecer a força da "guerreira" e disse que se ela for candidata "não assusta".

"Uma pessoa que jogou fora as oportunidades que o povo lhe concedeu. Não assusta", declarou Marcio Jerry. Na oportunidade, o secretário garantiu que vai pleitear uma vaga para a Câmara Federal nas próximas eleições. "Atendo a sugestões de vários companheiros, que natural e espontaneamente, me falaram da importância da candidatura.

Marcio Jerry mostra ter certeza da reeleição do governador comunista ao afirmar que se trata de um projeto vitorioso. "Vamos novamente ampliar nosso projeto, com renovação do mandato vitorioso do governador Flávio Dino e aumento das bancadas estadual e federal", destacou o secretário.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

João Alberto ganhou mais uma para Aécio Neves


Por onze votos a quatro, foi mantida a decisão anterior, tomada pelo senador João Alberto Souza (PMDB-MA), presidente do Conselho de Ética, que avaliou não existirem elementos suficientes para que Aécio Neves (PSDB-MG) fosse processado no Senado.

A representação, que havia sido apresentada pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), se baseava na delação premiada do empresário Joesley Batista, do grupo JBS, e nas gravações de diálogos entre o empresário e o tucano, para sustentar que ele quebrou o decoro parlamentar. Se o Conselho concordasse com essa avaliação, ela seria submetida ao plenário, que poderia, até, cassar o mandato de Aécio.

Com a decisão desta quinta-feira, 6, portanto, o tucano deixa de responder a qualquer processo no âmbito do Senado, apesar de ainda ser alvo de inquérito judicial no Supremo Tribunal Federal (STF), tendo sido denunciado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. 

A representação que visava tirá-lo definitivamente do mandato ocorreu no último dia 18 de maio, após a deflagração da Operação Patmos, que prendeu a irmã e o primo do tucano, Andrea Neves e Frederico Pacheco, e resultou na suspensão do exercício parlamentar, por decisão do ministro Edson Fachin.

Após a redistribuição dos inquéritos, o novo relator, Marco Aurélio Mello, decidiu na sexta-feira devolver Aécio Neves ao mandato após 46 dias de afastamento. Na mesma semana, o primeira turma do STF, a qual Marco Aurélio faz parte, também decidiu conceder prisão domiciliar para Andrea Neves.

Com informações da Veja

"Votaremos pelo recebimento da denúncia contra Temer", diz Weverton


O líder da bancada do PDT na Câmara Federal, deputado Weverton Rocha (PDT), já admitiu que o partido votará pela aceitação da denúncia contra o presidente Michel Temer. “Vamos votar pelo recebimento. Reuniremos a bancada e o partido para fechar questão, mas já há uma tendência majoritária neste sentido”, explica o parlamentar. A reunião dos deputados federais pedetistas está prevista para a próxima terça-feira, 11.

A Câmara dos Deputados recebeu na sexta-feira passada o pedido do Supremo Tribunal Federal para processar o presidente Michel Temer, denunciado pela Procuradoria Geral da República por crime de corrupção passiva. Para que o processo seja instalado no STF é necessária a aprovação por uma maioria de 342 deputados.

“A denúncia é muito grave. Precisa ser apurada”, defende Weverton. “Esse é o entendimento do PDT, tanto que defendemos a instalação de um processo de impeachment”, completa. Para o deputado, as evidências de que houve corrupção são muito fortes e tornam inviável a permanência do presidente do cargo. “A melhor saída é devolver ao povo o direito de definir o comando do País por meio de eleições diretas.”

Nesta última quarta-feira,5, Weverton e outros parlamentares da Frente Suprapartidária pelas “Diretas Já” se reuniram com o presidente da OAB Nacional, Claudio Lamachia, para tratar da proposta de antecipação das eleições diretas gerais. “Vivemos um momento de grande crise, a criminalização da política é negativa para a democracia. Vamos colocar o debate das Diretas Já dentro das nossas instâncias”, afirmou Lamachia.

Além de Weverton Rocha estiveram na reunião o senador João Capiberibe (PSB/AP), as senadoras Lídice da Mata (PSB/BA) e Fátima Bezerra (PT/RN), as deputadas federais Janete Capiberibe (PSB/AP), Zenaide Maia (PR/RN) e Jandira Feghali (PC doB/RJ), os deputados federais José Guimarães (PT/CE), líder da Minoria, Wadih Damous (PT/RJ), Henrique Fontana (PT/RS), Zé Geraldo (PT/PA) e Pompeu de Matos (PDT/RS), além do representante da CTB , Vicente Selistre.

Deputados maranhenses indefinidos na CCJ

Deputados federais Rubens Pereira (PCdoB) e Juscelino Filho (DEM)
Os deputados federais da bancada do Maranhão, Juscelino Filho (DEM) e Rubens Pereira Junior (PCdoB) permanecem indecisos no placar da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) na Comissão de Constituição e Justiça. Os dois parlamentares fazem parte do conjunto de 66 deputados que integram a CCJ na Câmara Federal que está indecisa em acolher ou não a denúncia de corrupção passiva formulada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

O presidente Temer passa a ser o primeiro presidente da República denunciado no exercício do mandato. Ele enfrentará na CCJ o primeiro desafio para mostrar que terá força política para permanecer no cargo. 

Temer já apresentou sua defesa em um documento com onze capítulos, que pretende desmontar os argumentos do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que o acusou por corrupção passiva. Agora, o relator do processo, deputado Sérgio Zveiter (PMDB-RJ), terá o prazo de cinco sessões para elaborar um parecer sobre a denúncia.

Do blog com informações da Veja

quarta-feira, 5 de julho de 2017

A trama política rumo ao Senado para 2018

O deputado federal José Reinaldo Tavavres (PSB) sendo recebido com festa pelo governador Flávio Dino (PCdoB)

A deputada federal Eliziane Gama (PPS) buscando se aproximar do governado Flávio Dino e garantir vaga ao Senado
As constantes investidas dos deputados federais José Reinaldo Tavares (PSB) e Eliziane Gama (PPS), pré-candidatos ao Senado, tornaram-se mais intensas nas últimas horas, na base aliada do governador Flávio Dino (PCdoB). 

Ambos parlamentares estão buscando atrair os holofotes da mídia ao lado do governador comunista, numa clara tentativa de se cacifar como os dois principais eixos das futuras candidaturas ao Senado da República em 2018.

Por enquanto, ficam em segundo plano os deputados federais Weverton Rocha (PDT) e Valdir Maranhão (PP), que também buscam apoio do governador na corrida sucessória às duas vagas ao Senado.

Sob pressão João Alberto reabre recurso contra Aécio Neves


Depois de muita pressão dos partidos PSOL e Rede, eis que o presidente do Conselho de Ética do Senado, João Alberto Souza (PMDB-MA), marcou para as 10h, desta quinta-feira, 6, a votação do recurso apresentado contra o arquivamento do pedido de cassação do senador Aécio Neves (PSDB-MG).

A representação que pede que o colegiado apure, com base na delação do empresário Joesley Batista, se Aécio feriu o decoro parlamentar foi apresentada pelos partidos Rede e PSOL. No último dia 23 de junho, João Alberto decidiu, monocraticamente, arquivar a representação.

Ao arquivar o pedido de cassação, o senador do PMDB alegou que a representação do PSOL e da Rede contra Aécio era "improcedente".

Após o arquivamento, cinco senadores titulares do conselho – Lasier Martins (PSD-RS), José Pimentel (PT-CE), João Capiberibe (PSB-AP), Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) e Pedro Chaves (PSC-MS) – recorreram da decisão. Eram necessárias, pelo menos, cinco assinaturas de senadores titulares do conselho para que o recurso tivesse validade.

Para a representação ser desarquivada, são necessários os votos de, pelo menos, 8 dos 15 integrantes titulares do Conselho de Ética. Se a maioria dos integrantes do Conselho de Ética votar a favor do pedido, a representação contra Aécio começará a ser debatida pelo colegiado. Se der prosseguimento, caberá ao conselho encaminhar um parecer ao plenário do Senado.

Entenda o caso

Com base na delação da JBS, a Procuradoria Geral da República (PGR) afirma que Aécio Neves pediu R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista para, supostamente, pagar despesas com advogados na Lava Jato. Em troca, acusa o Ministério Público, atuaria em favor dos interesses da JBS.

Ele foi denunciado por corrupçãp pela PGR e estava afastado do mandato desde o dia 18 de maio. O afastamento foi derrubado no último dia 30 de junho pelo ministro Marco Aurélio Mello.

Nesta terça (4), no primeiro dia após o retorno ao Senado, Aécio subiu à tribuna para se defender das acusações do Ministério Público Federal contra ele. Durante o pronunciamento, o tucano afirmou que não cometeu crimes, se disse indignado com o que chamou de "injustiça" e afirmou que foi condenado previamente sem chance de defesa.

Do blog com informações do G1

Secretário de Fazenda ainda permanece mudo sobre caso Lula Filho


Até o momento, o secretário municipal de Fazenda, Delcio Rodrigues (foto), ainda não se manifestou sobre as graves denúncias que pairam sobre a cabeça do secretário de Governo, Lula Filho, acusado de sonegação fiscal aos cofres da área fazendária de São Luís. As acusações apontam para supostas dívidas fiscais de duas empresas ligadas ao secretário Lula Filho, que teriam sido “baixadas indevidamente” do sistema de arrecadação do município.

Na última segunda-feira, 3, o líder do governo municipal na Câmara, vereador Pavão Filho (PDT), disse ter entrado em contato com o secretário de Fazenda, tendo ficado acertado que o titular da Semfaz iria ter, na terça-feira, 4, uma reunião, a portas fechadas, com os 31 vereadores, fato que acabou levando o secretário a admitir a evasão de receita, mas na oportunidade Delcio se defendeu culpando seus antecessores na pasta pela prescrição de dívidas.

Segundo as denúncias, as supostas dívidas tributárias “baixadas indevidamente” são referentes ao período de janeiro de 2012 a maio de 2017, relativo às empresas de propriedade do próprio secretário de Governo: a Sucesso Assessoria e Marketing Esportivo e o Instituto de Desenvolvimento Profissional e Pessoal – ME. A primeira possuía débitos que variavam entre R$ 1,5 mil à R$ 1,9 mil. Enquanto os débitos da segunda eram entre R$ 8,3 mil à R$ 9,5 mil.

Vereadores do grupo de oposição à gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT) já falam em criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Câmara para apurar supostos desvios de conduta do secretário Lula Filho perante a Semfaz. 

A CPI também pretende apurar novas denúncias que surgiram nesta semana contra o homem forte do prefeito Edivaldo. As recentes denúncias referem-se a eventuais débitos relacionados ao Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) referente a um dos imóveis onde estaria funcionando a Fator E- Consultoria, Planejamento e Treinamento Empresarial, uma das empresas ligadas ao secretário.

terça-feira, 4 de julho de 2017

Roseana e Dino estão cabeça a cabeça


Eis que surge na cena política do Maranhão mais uma pesquisa de intenções de votos na corrida sucessória ao governo do estado, para as eleições de 2018. Desta vez, trata-se de um levantamento eleitoral feito pelo Instituto Guimarães, de São Paulo.

Conforme os dados da pesquisa, o governador Flávio Dino (PCdoB) aparece com 29,6%, enquanto a ex-governadora e ex-senadora Roseana Sarney com 29,5%. O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) segue em terceiro com 12,4%, seguido do senador Roberto Rocha (PSB) com 4,8%.


Votos branco/nulo (16,5%). 

Não sabe/ não respondeu (7,2%).

"O secretário Lula Filho tem de provar sua inocência nesta Casa", diz Marquinhos


O líder do DEM na Câmara Municipal de São Luís, vereador Marquinhos Silva (foto), disse acreditar no poder da imprensa e que nesse momento as denúncias que pairam sobre o secretário de Governo, Lula Filho, precisam vir à tona e que cabe agora ao principal auxiliar do prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT) se defender e mostrar o contrário, restabelecendo o que é verdade.

"O que a imprensa tem difundido no decorrer da semana, com relação ao secretário Lula Filho, em envolvimento com a Semfaz, acredito que o próprio secretário tem condições de se defender e provar se é ou não verdade. Respeito a imprensa e, acredito no trabalho da imprensa livre", enfatizou.

Lula Filho vem sendo acusado de ter "baixado indevidamente", supostas dívidas tributárias referentes ao período de janeiro de 2012 a maio de 2017, relativo às empresas de sua propriedade: a Sucesso Assessoria e Marketing Esportivo e o Instituto de Desenvolvimento Profissional e Pessoal – ME. A primeira possuía débitos que variavam entre R$ 1,5 mil à R$ 1,9 mil. Enquanto os débitos da segunda eram entre R$ 8,3 mil à R$ 9,5 mil.

"Entendo que o secretário tem o direito de provar sua inocência e provar que tudo isso não passa de boatos. Espero que Lula Filho tenha adotado uma postura de homem sério e que traga para a Câmara Municipal que não é verdade o que está sendo noticiado", frisou o vereador Marquinhos.

Vereadores de oposição ao prefeito Edivaldo querem criar a CPI da Semfaz

Secretário de Governo Lula Filho em recente evento no plenário da Câmara Municipal de São Luís
Vereadores de oposição à gestão do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Junior (PDT), já ensaiam a possibilidade de encaminhar à Mesa Diretora da Câmara Municipal uma proposta de criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar supostas denúncias contra o secretário de Governo, Lula Filho, acusado de sonegação fiscal junto aos cofres da Secretaria Municipal de Fazenda (Semfaz).

As acusações apontam para supostas dívidas fiscais de duas empresas ligadas ao secretário Lula Filho que teriam sido “baixadas indevidamente” do sistema de arrecadação do município. 

Segundo as denúncias, as supostas dívidas tributárias “baixadas” são referentes ao período de janeiro de 2012 a maio de 2017, relativo às empresas de propriedade do próprio secretário de Governo: a Sucesso Assessoria e Marketing Esportivo e o Instituto de Desenvolvimento Profissional e Pessoal – ME. A primeira possuía débitos que variavam entre R$ 1,5 mil à R$ 1,9 mil. Enquanto os débitos da segunda eram entre R$ 8,3 mil à R$ 9,5 mil.

A CPI também pretende apurar novas denúncias que surgem contra o homem forte do prefeito Edivaldo. As recentes denúncias referem-se a eventuais débitos relacionados ao Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) referente a um dos imóveis onde estaria funcionando a Fator E- Consultoria, Planejamento e Treinamento Empresarial, uma das empresas ligadas ao secretário.


Registrado na Receita Federal como endereço de estabelecimento, o imóvel que é alugado, fica na Rua Santo Antônio, nº 21, loja 008, Olho D’Água, em São Luís. Porém, a inscrição imobiliária, informada nos dados cadastrais do contribuinte, sistema da Secretaria Municipal de Fazenda (Semfaz), pertence a outro imóvel localizado na Rua dos Afogados/José Bonifácio, número 102, loja 008, no Centro, da capital maranhense, apontado pela firma como endereço para correspondência.

O blog do Davi Max apurou que a inscrição informada estaria constando no Cadastro Informativo Municipal como inadimplente. A supressa aumenta ainda mais quando se acessa o site da Semfaz, para obter a emissão Certidão Negativa do Cadastro Imobiliário. Para emitir o documento, o imóvel precisa estar em situação regular com o IPTU. Em todas as tentativas, o sistema informa um código com a seguinte mensagem: "CERO013-003: Certidão não pode ser emitida. Existem débitos para o contribuinte".PEGO DE SURPRESA    

Corre nos bastidores que o prefeito Edivaldo diz ter sido pego de surpresa com a gravidade do caso que, desde que estourou na segunda-feira passada, 26, já provocou a demissão de dois funcionários por suspeitas de vazamentos dos documentos e o cancelamento de várias senhas de acesso ao sistema tributário de servidores lotados na Semfaz. Além disso, o chefe do Executivo municipal também teria antecipado as férias de seu auxiliar para evitar um desgaste maior ao governo.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Perfil da bancada federal do Maranhão contra e a favor do presidente Temer


Apenas os deputados da bancada federal do Maranhão, Eliziane Gama (PPS), Weverton Rocha (PDT) e Zé Carlos (PT) já se posicionaram favoráveis à abertura de ação penal contra o presidente da República, Michel Temer (PMDB). Nesse momento, caberá à Câmara dos Deputados definir se o caso será encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF), ou se será arquivado.

Já os deputados Cleber Verde (PR), Hildo Rocha (PMDB) e  Junior Marreca (PEN) já se posicionaram contrários à aceitação da denúncia de corrupção passiva contra o presidente.

Ficaram em cima do muro os deputados André Fufuca (PP) e Pedro Fernandes (PTB). Não souberam dizer o que vão fazer os parlamentares Alberto Filho (PMDB), Aluisio Mendes (PODEMOS), João Marcelo Souza (PMDB), Rubens Junior (PCdoB), Victor Mendes (PSD) e Waldir Maranhão (PP).

Ainda não se manifestaram sobre se aceitam ou não a denúncia contra Temer os deputados Deoclides Macedo (PDT), José Reinaldo Tavares (PSB), Juscelino Filho (DEM) e  Luana Costa (PSB).

O levantamento foi feito pelo jornal Folha de S.Paulo e divulgado neste último fim de semana.