anúncio no blog

anúncio no blog

quinta-feira, 6 de julho de 2017

João Alberto ganhou mais uma para Aécio Neves


Por onze votos a quatro, foi mantida a decisão anterior, tomada pelo senador João Alberto Souza (PMDB-MA), presidente do Conselho de Ética, que avaliou não existirem elementos suficientes para que Aécio Neves (PSDB-MG) fosse processado no Senado.

A representação, que havia sido apresentada pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), se baseava na delação premiada do empresário Joesley Batista, do grupo JBS, e nas gravações de diálogos entre o empresário e o tucano, para sustentar que ele quebrou o decoro parlamentar. Se o Conselho concordasse com essa avaliação, ela seria submetida ao plenário, que poderia, até, cassar o mandato de Aécio.

Com a decisão desta quinta-feira, 6, portanto, o tucano deixa de responder a qualquer processo no âmbito do Senado, apesar de ainda ser alvo de inquérito judicial no Supremo Tribunal Federal (STF), tendo sido denunciado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. 

A representação que visava tirá-lo definitivamente do mandato ocorreu no último dia 18 de maio, após a deflagração da Operação Patmos, que prendeu a irmã e o primo do tucano, Andrea Neves e Frederico Pacheco, e resultou na suspensão do exercício parlamentar, por decisão do ministro Edson Fachin.

Após a redistribuição dos inquéritos, o novo relator, Marco Aurélio Mello, decidiu na sexta-feira devolver Aécio Neves ao mandato após 46 dias de afastamento. Na mesma semana, o primeira turma do STF, a qual Marco Aurélio faz parte, também decidiu conceder prisão domiciliar para Andrea Neves.

Com informações da Veja

Nenhum comentário:

Postar um comentário