terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Investigação: Sarney Filho usa voo da FAB para dar carona a parentes


O jornal Folha de S. Paulo levantou dados por meio da Lei de Acesso à Informação e descobriu que ministros do governo do presidente Michel Temer (PMDB) usaram voos da Força Aérea Brasileira (FAB), requisitados com o propósito de cumprir agendas de trabalho, para transportar parentes, amigos e representantes do setor privado. Há carona a mulheres e filhos, que não têm vínculo nenhum com a administração pública.

O decreto 4.244/2002, que dispõe sobre os voos, permite o uso da frota "somente" para o transporte de vice-presidente, ministros de Estado, chefes dos três Poderes e das Forças Armadas, salvo nos casos em que há autorização especial do ministro da Defesa. 

De acordo com a Folha, a norma não autoriza expressamente o embarque de pessoas sem cargo ou função pública. Também não há previsão para que congressistas peguem carona.

Entre 13 e 16 de outubro de 2016, a FAB cedeu um de seus jatos para que o titular do Ministério de Meio Ambiente, Sarney Filho (PV), participasse de encontro sobre sustentabilidade no Pantanal. 

O evento, emendado com o Dia das Crianças, se deu no Refúgio Ecológico Caiman, hotel luxuoso em Miranda (MS). Na comitiva estava o filho de 11 anos do ministro. A FAB alega que recebe das autoridades a lista dos passageiros, mas não tem responsabilidade sobre as comitivas.

No início de 2017 a Comissão de Ética Pública da Presidência iniciou um processo contra Sarney Filho, por uso irregular de aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). Veja aqui.

Questionado pela Folha sobre o voo da FAB, o Ministério do Meio Ambiente afirmou que "nenhuma hospedagem" de "qualquer membro" da família de Sarney Filho foi paga com dinheiro público. Ou seja, fugiu do assunto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário