Comercial da Prefeitura de SL

Comercial da Prefeitura de SL

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Gastão na corda bamba do FNDE

O ex-deputado Gastão Vieira vai se agarrando nas notas da imprensa nacional para clamar para se manter a frente do FNDE
O ex-deputado federal e candidato derrotado ao Senado em 2014, Gastão Vieira (PROS), anda se agarrando na mídia nacional para não cair como jaca do cargo que mantém no comando do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Tanto que recentemente o jornal Correio Braziliense publicou, na última terça-feira, 29, duas notas com a seguinte pitada de sal.


Veja abaixo o que diz as notas do matutino:

Alguns senadores planejam aproveitar a proposta de emenda constitucional do teto de gastos para obter algum benefício do governo. Os três do Maranhão, por exemplo, Edison Lobão, João Alberto, ambos do PMDB, e Roberto Rocha, do PSB, fazem pressão pela substituição do presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Gastão Vieira. O orçamento do fundo é da ordem de R$ 59 bilhões, a maioria comprometido com despesas obrigatórias.

»   »  »

O governo ainda não disse se cederá. Afinal, Gastão Vieira é ex-deputado, já foi do PMDB de José Sarney e hoje está numa legenda aliada ao Planalto. O pedido para substituí-lo foi feito há um mês e, como a troca não ocorreu, eles agora aproveitam para uma nova investida. O Planalto ainda não disse nem sim nem não. É o presidente Michel Temer no seu estilo de deixar estar para ver como é que fica a solução natural logo ali na frente.

Emenda de Weverton criminaliza juízes e Ministério Público

A polêmica emenda do deputado maranhense Weverton Rocha (PDT) foi aprovada e segue agora para votação no Senado
A Câmara dos Deputados aprovou por 450 votos a favor, um contra e três abstenções na madrugada desta quarta-feira, 30, o texto-base do Projeto de Lei nº 4.850/16, que trata das medidas de combate a corrupção. No total, foram apresentadas 12 emendas ao projetos, que foram rejeitadas pelo relator, deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), e 16 destaques a pontos do texto. Todas os destaques foram aprovados pelos deputados e a matéria segue agora ao Senado.

A principal mudança feita pelos deputados ocorreu por meio de emenda do deputado Weverton Rocha (PDT-MA), aprovada por 313 votos a 132 e 5 abstenções. Ela prevê casos de responsabilização de juízes e de membros do Ministério Público por crimes de abuso de autoridade. Entre os motivos listados está a atuação com motivação político-partidária.

Pelo texto aprovado, juízes poderão responder por crime de responsabilidade, nos seguintes casos: alterar decisão ou voto já proferido (exceto se por recurso); julgar quando estiver impedido ou suspeito; exercer atividade político-partidária; proceder de modo incompatível com a honra dignidade e decoro de suas funções; exercer outra função ou atividade empresarial; receber custas ou participação em processo; manifestar, por qualquer meio de comunicação, opinião sobre processo pendente de julgamento. 

Já os promotores podem responder por  crimes de responsabilidade nos casos de emitir parecer quando estiver impedido ou suspeito; se recursar a agir; proceder de modo incompatível com a dignidade e o decoro do cargo; receber honorários, percentagens ou custas processuais; exercer a advocacia; participar de sociedade empresarial; exercer qualquer outra função pública, com exceção do magistério e exercer atividade político-partidária.

O deputado Zé Geraldo (PT-PA) foi o único a se posicionar contra o projeto. O texto prevê, entre outros pontos, a transformação de corrupção que envolve valores superiores a 10 mil salários mínimos em crime hediondo e a criminalização do enriquecimento ilícito de funcionários públicos.

Entre os principais pontos do projeto está o que criminaliza a prática de utilização de recursos não contabilizados formalmente, o chamado caixa dois. Pela proposta, o candidato, o administrador financeiro que incorrer na prática poderá sofrer uma pena de dois a cinco anos de prisão, e multa. As penas serão aumentadas de um terço se os recursos forem provenientes de fontes vedadas pela legislação eleitoral ou partidária.

A possível anistia ao caixa dois foi um dos temas que mais gerou polêmicas no projeto. Mais cedo, chegou a circular um rumor de que seria apresentada uma emenda ao projeto para promover a anistia. A sessão foi encerrada somente  às 4h20 desta quarta-feira, após um longo debate que adentrou pela madrugada.

Com informações da Agência Brasil e Agência Câmara

Eduardo Braide na papada de Dino


O deputado estadual Eduardo Braide (PMN/foto) voltou a bater de frente com duas propostas encaminhadas à Assembleia Legislativa do Maranhão pelo governador Flávio Dino (PCdoB), pós-eleição de outubro deste ano.

Da primeira vez o parlamentar tentou barrar um empréstimo de mais de R$ 400 milhões solicitado pelo comunista e agora, o deputado denuncia que o chefe do Executivo encaminhou à Casa projetos que preveem a criação de multa de mora, aumento de juros e cumulação com a taxa Selic, além do aumento na antecipação do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de 30% para 50% em todo o estado.

Braide chamou atenção na sessão da última terça-feira, 29, no plenário da Assembleia Legislativa, tendo manifestado voto contrário à proposta do governo, ressaltando o risco iminente de penalização do contribuinte, além do agravamento da recessão e aumento do desempego no Maranhão, acirrando ainda mais o caos social no estado.

O puxão de orelha do deputado do PMN ecoou fortemente na Casa e nas hostes do Palácio dos Leões, tanto que o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), deputado Rafael Leitoa (PDT), se viu obrigado a retirar os textos encaminhados pelo governador comunista da pauta.

Uma nova sessão extraordinária foi marcada para acontecer nesta quarta-feira, 30, para discutir o caso.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Weverton diz que anistia ao caixa dois já nasceu morto


O deputado federal Weverton Rocha (PDT) garante que não existe a menor possibilidade de pensar em qualquer tipo de anistia ao chamado "caixa dois" durante a votação, nesta terça-feira, 29, do pacote de medidas anticorrupção que tramita no Congresso Nacional. "Esse filho morreu antes de nascer", diz o parlamentar, que é líder da bancada pedetista na Câmara dos Deputados.

Apesar disso, Weverton Rocha ressalta que o PDT já protocolou uma emenda ao projeto do relator Onix Lorenzoni (DEM-RS) em que procuradores e juízes possam ser responsabilizados por crimes de responsabilidade.

“Não é para perseguir, é para precaver dos maus agentes, que são minoria”, justifica Weverton Rocha. O parlamentar acredita que não terá dificuldades em convencer os colegas a concederem o voto favorável. “Estamos num momento em que a sociedade cobra transparência, se fizer mau uso, será punido”, afirma.

Astro consolida nova Mesa Diretora para 2017/2018

Vereadores de São Luís eleitos e reeleitos fazem sinal positivo em favor da recondução de Astro de Ogum para presidente
Tudo vai se encaminhando para que o presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Astro de Ogum (PR), seja reconduzido por aclamação ao comando da nova Mesa Diretora do Legislativo na capital maranhense. A eleição acontece nas primeiras horas do ano novo, no plenário Simão Estácio da Silveira. 

Uma das últimas articulações definida revela o consenso em torno do nome do vereador Osmar Filho (PDT), líder do governo do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), para ocupar a 1ª vice-presidência. Com isso, está praticamente fechada a nova chapa que concorrerá a mais um biênio (2017/2018) na Casa.

Até o momento não há nenhum outro nome que tenha se manifestado contrário à chapa encabeçada pelo presidente Astro de Ogum. Portanto, os astros vão iluminando e pacificando uma nova jornada política na Câmara de São Luís, que se inicia no dia 1º de janeiro do ano que vem.

PMDB e PV podem ter candidatos ao governo do Maranhão

O empresário Lobão Filho e a ex-governadora Roseana Sarney (ambos do PMDB) devem traçar estratégias eleitorais
A direção estadual do PMDB deve se reunir nos próximos dias, ainda que em caráter informal, para iniciar as conversas sobre eventuais nomes do partido que podem vir a disputar as eleições de 2018 aos cargos majoritários de governador do Maranhão e às duas vagas para o Senado Federal que ficarão abertas com as saídas dos parlamentares João Alberto Souza e Edison Lobão.

Até o momento, circula nos bastidores que o PMDB pode ter como potenciais candidatos a ex-governadora Roseana Sarney, que viria para um quinto mandato no Executivo estadual e o empresário e suplente de senador Edison Lobão Filho, que perdeu as eleições de 2014 para o atual governador Flávio Dino (PCdoB). 

Existe ainda a possibilidade de Lobão Filho ingressar na corrida eleitoral por uma das duas vagas ao Senado e caso seja eleito, venha ocupar a vaga a ser aberta pelo pai. A ex-governadora Roseana também poderia abrir mão de mais um disputa ao governo e encarar a outra vaga ao Senado.

Além dos nomes temáticos do PMDB, o grupo Sarney também não esconde a viabilidade de lançar o nome do ministro de Meio Ambiente, Sarney Filho (PV), para disputar a cadeira número 1 do Palácio dos Leões, sede do governo estadual.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Senadores maranhenses na lista de supersalários

Os senadores João Alberto e Edison Lobão fazem parte da lista de parlamentares que recebem acima do teto constitucional
Levantamento feito pelo jornal O Globo revela que os senadores maranhenses João Alberto e Edison Lobão (ambos do PMDB) fazem parte de uma uma lista de dez senadores da República que recebem acima do teto constitucional do funcionalismo público, que é a remuneração de um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), fixado em R$ 33,7 mil.

Pela pesquisa de O Globo, os salários desses parlamentares somados a benefícios como pensão de ex-governador somam valores que variam de R$ 52,7 mil a R$ 67,5 mil. Tanto João Alberto quanto Edison Lobão são ex-governadores do Maranhão.

Também fazem parte desse grupo os senadores Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), Garibaldi Alves (PMDB-RN), Jorge Viana (PT-AC), José Agripino (DEM-RN), José Maranhão (PMDB-PB), Otto Alencar (PSD-BA), Roberto Requião (PMDB-PR) e Valdir Raupp (PMDB-RO).

Os supersalários do funcionalismo estão na mira de uma comissão especial criada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que tem como principais alvos o Judiciário e o Ministério Público. Representantes das duas categorias acusam Renan, um dos principais investigados na Operação Lava Jato, de usar o colegiado para fazer retaliações contra as duas instituições.

A Constituição de 1988 acabou com a pensão vitalícia para ex-presidentes. Com base nela, os estados replicavam o benefício aos governadores. Mesmo com a mudança constitucional, algumas unidades da federação continuaram a pagar o benefício aos ex-chefes do Executivo local, alegando que têm autonomia para decidir o que quiserem.

Roseana Sarney disse ter se sentido agredida


A ex-governadora Roseana Sarney (PMDB/foto) disse ter se sentido "agredida e julgada" no caso do inquérito envolvendo o seu nome na lista de políticos investigados na operação Lava Jato da Polícia Federal. Em decisão recente, o Supremo Tribunal Federal (STF) arquivou o inquérito contra a ex-governadora por falta de provas. 

Para Roseana, a decisão do STF apenas "reconheceu a verdade". No entanto, a ex-governadora do Maranhão afirmou, por meio de nota divulgada pela imprensa, que esperava que a justiça fosse feita e que sempre teve a consciência tranquila, mesmo diante das acusações que pesavam sobre seus ombros.

"Devo dizer que passei por momentos muito difíceis ao longo dos últimos dois anos. Me senti muitas vezes agredida e julgada, mas sempre mantive a minha fé em Deus. Me fortaleci no apoio e no conforto da minha família, com o amparo dos meus amigos e de todos aqueles que conhecem a minha história e a minha luta pelo Maranhão", frisou.

A ex-governadora Roseana Sarney disse ainda que sempre confiou na justiça e sabia que a mesma seria feita em tempo hábil. ""Eu acreditei que a justiça seria feita e, como afirmei, em todos os momentos, minha consciência estava tranquila, pois agi de forma correta e nunca fiz nada que pudesse desabonar a minha conduta como governadora do meu estado. A justiça reconheceu a verdade, e é a verdade que sempre prevalecerá".

Kátia Bogéa pode desencadear impeachment de Temer

Presidente do IPHAN, Kátia Bogéa
A presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), a historiadora Kátia Bogéa, passou a ser a grande estrela cadente da crise política brasileira envolvendo o ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, o ex-secretário de governo, Gedeu Vieira Lima, e o presidente da República Michel Temer (PMDB). 

A dirigente nacional do órgão, que por 30 anos atuou como superintendente regional do IPHAN no Maranhão, virou o principal pivôr da crise que pode até culminar com o processo de impeachment do presidente peemedebista, a ser articulado pela oposição.

Segundo o portal da Veja, Michel Temer concedeu entrevista coletiva no domingo, 27, organizada de última hora para tentar amenizar a crise que se abateu sobre o seu governo com a denúncia, feita pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, de que se envolveu pessoalmente no caso em torno do apartamento de outro de seus ex-ministros, Geddel Vieira Lima, derrubado pela suspeita de ter pressionado Calero a liberar a construção de um edifício próximo a uma área histórica de Salvador, no qual adquiriu um luxuoso apartamento.

Presidente da República, Michel Temer (PMDB)
A grande questão é que o IPHAN nacional, que é comandado por Kátia Bogéa, é um órgão subordinado pelo Ministério da Cultura. A fortaleza dela, à frente do órgão, deve-se à sua indicação para assumir tal cargo ter partido diretamente de um pedido feito a Temer por nada mais, nada menos que o ex-presidente da República, José Sarney (PMDB).

Para reforçar a ideia de que age com lisura, Temer anunciou que pensa em passar a gravar todas as conversas realizadas no gabinete da Presidência. A crise se tornou mais grave na semana que passou pela notícia de que tramita no Congresso Nacional uma emenda parlamentar para anistiar o chamado caixa dois de campanha eleitoral, cuja aprovação foi negada tanto por Temer quanto por Renan Calheiros e Rodrigo Maia, presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados, também presentes à coletiva. 

Temer ainda falou sobre a outra crise, a econômica, e disse que resultados animadores são esperados apenas para o segundo semestre de 2017.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Geddel dançou sem música


Brasília- O ministro Geddel Vieira Lima (foto) não comanda mais a Secretaria de Governo. Ele confirmou a VEJA, por telefone, que já conversou com o presidente Michel Temer nesta manhã e entregou a carta de demissão. Geddel deixa o cargo seis meses depois de o governo Temer assumir o Palácio do Planalto. A demissão ocorre depois de Geddel ser acusado pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero de tentar usar o cargo para pressionar pela liberação de uma obra de seu interesse na Bahia.

“Já preparei a carta de demissão e já entreguei ao presidente”, disse Geddel.

Na carta de demissão, Geddel afirma que o sofrimento de seus familiares foi determinante para a decisão. “Avolumaram-se as críticas sobre mim. Em salvador, vejo o sofrimento de meus familiares. Quem me conhece sabe ser esse o limite da dor que suporto. É hora de sair”, escreveu o agora ex-ministro da Secretaria de Governo.

Nesta quinta-feira, o ex-ministro da Cultura prestou depoimento à Polícia Federal em que revelou ter sido pressionado por Geddel e pelo próprio presidente Michel Temer, além do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, a liberar a construção de um edifício residencial em uma área tombada pelo patrimônio histórico em Salvador. Geddel é dono de um apartamento no empreendimento e seria prejudicado pelo embargo da obra. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, que proibiu a obra, estava subordinado a Calero.

Ainda em sua carta de demissão, Geddel pede desculpas “aos que estão sendo alcançados” pelos desdobramentos do escândalo, afirma que “o Brasil é maior do que tudo isso” e avisa que irá retornar ao seu estado natal: “Fiz minha mais profunda reflexão e fruto dela apresento aqui este meu pedido de exoneração do honroso cargo que com dedicação venho exercendo. retorno a Bahia, sigo como ardoroso torcedor do nosso governo, capitaneado por um presidente sério, ético e afável no trato com todos, rogando que, sob seus contínuos esforços, tenhamos a cada dia um país melhor”.

Depois de acusar a cúpula do governo de tentar pressioná-lo a liberar uma obra de interesse pessoal de Geddel, Marcelo Calero entregou à Polícia Federal gravações das conversas que teve com Temer, Geddel e Padilha, além de dois auxiliares próximos do presidente.

O próprio Palácio do Planalto obteve a confirmação da existência dos áudios. “As gravações não são de boa qualidade, porque foram feitas com um aparelho que aparentemente estava no bolso do Calero”, disse um ministro palaciano.

Depois de receber a informação de que o ex-ministro havia gravado as conversas, o governo confirmou as reuniões com Calero. Por meio do porta-voz da presidência, Michel Temer admitiu que conversou com Marcelo Calero para “arbitrar o conflito” entre o então ministro da Cultura e o titular da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, mas negou qualquer pressão no caso.

“O presidente trata todos seus ministros como iguais. E jamais induziu algum deles a tomar decisão que ferisse normas internas ou suas convicções. Assim procedeu em relação ao ex-ministro da Cultura, que corretamente relatou estes fatos em entrevistas concedidas”, disse o porta-voz Alexandre Parola.

Até o começo da madrugada desta sexta-feira, Geddel manifestava o desejo de continuar no cargo. As revelações de Calero comprometendo diretamente o próprio presidente Michel Temer, no entanto, foram determinantes para a saída.

Com informações do portal da VEJA

Roseana Sarney livre da Lava-Jato


A Procuradoria Geral da República (PGR) pediu o arquivamento do inquérito em que a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) foi acusada de fazer parte de um esquema de desvio de verbas da Petrobras, no caso Lava Jato.

O inquérito sobre Roseana apurava a veracidade de relatos do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa de que ele teria autorizado o doleiro Alberto Youssef a repassar R$ 2 milhões oriundos de propina na Petrobras para campanha eleitoral da ex-governadora em 2010. Porém, o doleiro Alberto Youssef, também investigado na Operação Lava Jato, negou que tivesse feito qualquer entrega.A Polícia Federal já havia pedido, por duas vezes, o arquivamento do processo considerando que não havia mais o que ser investigado. Agora, o inquérito segue para o despacho final do Ministro Teori Zawaski.

“Foi um período de dois anos de investigações e com várias diligências expondo Roseana a um constrangimento desnecessário. Nada foi provado porque era uma mentira deslavada do delator (Paulo Roberto Costa). Esse arquivamento, embora tardio, resgata, nesse ponto de vista, a verdade. Para Roseana que ficou sendo investigada desnecessariamente, é uma vitória. Este era o único inquérito em que Roseana era investigada. Embora a demora nas investigações tenha causado um enorme prejuízo pessoal e político, para Roseana a Lava Jato é uma página do passado”, conclui o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro.

Segundo a assessoria de comunicação da ex-governadora, Roseana Sarney, assim que ela foi citada retornou de uma viagem ao exterior para colaborar com as investigações da Polícia Federal e Ministério Público Federal. A assessoria de Roseana garante que a ex-governadora ofereceu a quebra dos sigilos bancário e telefônico, e, se colocou à disposição da Justiça.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Sobrinha-neta de Sarney foi estuprada antes de ser morta pelo cunhado


A publicitária Mariana Costa, 33 anos, sobrinha-neta do ex-presidente da República José Sarney, sofreu abuso sexual antes de ser brutalmente assassinada pelo cunhado e empresário Lucas Porto, 37, autor confessor do crime. A confirmação foi feita nesta quarta-feira, 23, durante coletiva (foto) à imprensa na sede da Secretaria de Estado de Segurança Pública.

Mariana Costa foi morta no último dia 13, pelo cunhado, em seu apartamento, no bairro do Turu, área de classe média de São Luís, sendo que o autor foi indiciado por homicídio qualificado ­ por motivo torpe e sem possibilidade de reação da vítima ­ e estupro.

Segundo o delegado Leonardo Diniz, superintendente de Homicídios, os exames também confirmaram que a causa da morte de Mariana Costa foi asfixia e que ela tentou resistir ­ o que ficou comprovado pelos arranhões nos braços e pescoço de Lucas Porto. Antes de asfixiá-­la com um travesseiro, ele a estrangulou, o que a fez perder os sentidos. 

De acordo com Miguel Alves, chefe da Perícia do Instituto de Criminalística (Icrim), todo o material orgânico tanto da vítima quanto do suspeito foi
analisado, bem como o local do crime.

Para o secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, a crueldade com que Lucas Porto matou a cunhada chocou, inclusive, os profissionais que trabalharam no caso. "A violência do senhor Lucas Porto contra a vítima é chocante. Ela não tinha chance de qualquer defesa para o resultado morte. Ele reduziu qualquer chance que ela tinha", destacou.

Tardia desocupação do Cintra revela depedração do patrimônio público


Ainda que tardia, considero acertada a decisão do governo do estado em determinar que a Polícia Militar promovesse a desocupação da unidade escolar do Centro Integrado Rio Anil (Cintra), no bairro do Anil. A ordem de despejo de estudantes que se colocam contrários à PEC dos Gastos Públicos do governo federal ocorreu na noite de terça-feira, 22, sendo conduzidas 16 pessoas para o prédio da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC).

Desse universo de manifestantes, sete pessoas são maiores de idade e foram autuadas em flagrante por depedração do patrimônio público, já que foram constatados que computadores e documentos escolares foram extraviados. Todos se encontram detidos e também irão responder por corrupção de menores e uso de entorpecentes. Os menores foram liberados na presença de seus responsáveis.

O titular da Seic, delegado Tiago Bardal, informou que a polícia constatou que o prédio da escola ficou destruído após os 42 dias de ocupação.“Destruíram totalmente a escola. Quebraram televisores, computadores, armários, a merenda escolar também. Picharam a escola com a sigla de uma facção criminosa. Crimes previstos no Código Penal, por isso, os maiores foram autuados em flagrante”, disse o superintendente.

Com relação aos menores de idade, foi feito um boletim de ocorrência e agora eles vão aguardar uma audiência para que o promotor diga quais as medidas serão tomadas. 

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Prefeito dá calote em empresa que fornece merenda escolar

O prefeito de Cajapió, Raimundo Nonato Silva, foi citado pelo Ministério Público por crime de improbidade administrativa
O Ministério Público Estadual (MPE) representou contra o prefeito de Cajapió, Raimundo Nonato Silva (foto); o ex-secretário de Educação, Marlon Souza; o pregoeiro Fred Norton Moreira dos Santos; e a empresária Celma Menezes Mendes Carvalho. A ação civil pública por ato de improbidade administrativa foi proposta no dia 31 de outubro deste ano.

Dois anos antes, a Promotoria de Justiça da Comarca de São Vicente Férrer (da qual Cajapió é termo judiciário) recebeu denúncia da empresária Celma Menezes Mendes. Ela afirmava ter participado do Pregão Presencial 016/2014, de contratação de empresa para fornecimento de alimentação escolar para o município de Cajapió. 

Segundo ela, a empresa deveria ter recebido R$ 145.120, dos quais apenas R$ 40 mil foram, efetivamente, pagos. Ainda segundo a empresária, apesar dos produtos entregues serem suficientes para apenas 10 dias de consumo, não foram feitos novos pedidos de alimentos. Além disso, a nota fiscal com valor integral foi utilizada pela prefeitura para a prestação de contas.

Ao analisar a documentação relativa ao pregão, a Assessoria Técnica da Procuradoria Geral de Justiça encontrou uma série de irregularidades. O parecer jurídico a respeito do certame, por exemplo, é datado de 9 de setembro de 2014, enquanto o edital é do dia anterior. A autorização para realização do processo licitatório, por sua vez, só foi emitida no ano seguinte, em 11 de setembro de 2015.

No termo de referência que dá base ao edital, não há qualquer indicação de como foram estimadas as quantidades previstas. Também não há previsão de condições de guarda e armazenamento dos alimentos. “Não se sabe a quantidade de escolas agraciadas, a quantidade de alunos, o consumo. Não há qualquer informação por parte dos diretores de escolas. As estimativas são absolutamente aleatórias”, explica a promotora de justiça Alessandra Darub Alves.

Repórter da TV Mirante (afiliada TV Globo) é acusado de agredir menor

Repórter Alex Barbosa (TV Mirante)
Do Blog Marrapá

Um jovem de 17 anos foi espancado e ameaçado de morte pelo repórter da TV Mirante, Alex Barbosa, no último sábado (19). O jovem é namorado de  Brenda Barbosa Moura (19), filha do jornalista que não aceita de forma alguma o relacionamento.

Brenda e o menor mantêm um relacionamento de 1 ano e 3 meses. Os dois moram no mesmo condomínio, Gran Village Araçagy. Ela mora com os avôs. Alex fez diversas ameaças ao jovem, segundo a mãe da vítima, a representante comercial Rosângela Arouche Moreira.

Em contato com o blog, Rosângela contou que no último sábado (19), o filho combinou de ir ao cinema com Brenda. Quando os dois saíam do condomínio, Alex preparou uma tocaia. Ele interceptou o casal e passou a agredir o menor. O adolescente teve ferimentos na cabeça, rosto, costa e seus óculos de grau foram quebrados pelo agressor. Em seguida, a vítima foi levada para o hospital, onde  precisou passar por uma tomografia em razão dos ferimentos na cabeça.

A representante comercial contou que não sabe os motivos pelos quais o jornalista da TV Mirante, filiada a Rede Globo,  não aceitar o relacionamento. Ele tentou criar uma situação para separar os dois, ao insinuar que o jovem flertava com a irmã de Brenda, fato negado pela mãe.


Rosângela prestou queixa na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente. Um boletim de ocorrência por lesão corporal dolosa foi aberto. O caso está sendo investigado pela delegada Ana Cláudia Silva dos Santos. A mãe do garoto disse que irá processar Alex.  “Não é porque ele é repórter e aparece na televisão que vou me intimidar, isso não vai ficar impune”, comentou Rosângela Arouche.


O cerco vai se fechando contra ex-secretários de Fazenda

Os ex-secretários de Fazenda estão sendo alvos de investigação por suposto esquema de compensações fiscais ilegais
Continuam intensas as investigações da Polícia Civil contra os ex-secretários de estado de Fazenda na gestão da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), Cláudio Trinchão e Akio Valente. Ambos são suspeitos de integrar uma quadrilha especializada em compensações fiscais ilegais que teria beneficiado cerca de 190 empresas no Maranhão, no período de 2009 a 2014. 

Na última segunda-feira, 21, policiais civis realizaram uma mega operação de busca e apreensão de documentos nas residências dos ex-secretários de Fazenda e também no escritório de advocacia de Jorge Arturo e na empresa Centro de Tecnologia Avançada (CTA).

A decisão judicial para busca e apreensão foi determinada pela juíza da 8ª Vara Criminal, Cristiana Ferraz, atendendo a um pedido do Ministério Público Estadual (MPE). Os oficiais foram acompanhados de promotores de Justiça. 

Até o momento ainda não houve nenhuma decisão judicial para incursão na casa da ex-governadora Roseana Sarney, conforme informações da 2ª Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Tributária e Econômica de São Luís.

Charge do Dia: Roseana Sarney e Bananas de Pijamas

O que há em comum entre as duas imagens abaixo?


segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Astro vai mantendo articulações para mais um biênio


O presidente da Câmara Municipal de São Luís, Astro de Ogum (PR), vem demonstrando cada vez mais habilidade política, na busca pela recondução para mais um biênio (2017/2018) a frente do Legislativo da capital maranhense. No fim de semana o parlamentar esteve reunido com a classe política, entre eles marcaram presença vereadores eleitos e reeleitos, o prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT), o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, o deputado federal Weverton Rocha (PDT), entre outras lideranças. A reunião ocorreu na residência do presidente Astro, na praia do Olho d´Agua. Confiram as fotos clicadas por Paulo Caruá.

Escórcio provoca Dino e Roseana se encontra com prefeitos


O ex-senador e ex-deputado federal Chiquinho Escórcio (PMDB) voltou à cena política com a corda toda ao defender nas redes sociais a volta da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) ao comando do Maranhão, em 2018. Segundo o ex-parlamentar e aliado de primeiro hora do grupo Sarney, Chiquinho aproveitou o espaço virtual para fazer provocações ao governador Flávio Dino (PCdoB) ao declarar: "Flávio Dino, Roseana está voltando...".

A ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) se reúne com prefeitos eleitos e reeleitos pensando em 2018
Paralelamente às insinuações feitas por Chiquinho Escórcio, a ex-governadora Roseana aparece ao lado de prefeitos eleitos e reeleitos, nas eleições de outubro deste ano, durante seminário promovido pela Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM). O encontro aconteceu na residência do secretário-geral do PMDB, Remi Ribeiro. 

Banco do Brasil vai fechar mais de 400 agências no país


Uma das notícias que chamou a atenção neste início de semana foi a decisão do Conselho de Administração do Banco do Brasil que aprovou, no domingo, 20, um pacote de medidas de reorganização institucional para o próximo ano. Entre as principais ações estão o fechamento de 402 agências, a transformação de outras 379 em postos de atendimento e a adoção de um programa de incentivo a aposentadoria. Ou seja, 781 (14%) das 5.430 agências deixarão de existir. Outras 51 começaram a ser fechadas em outubro.

“A economia anual com despesas administrativas, exceto pessoal, é estimada em R$ 750 milhões, sendo R$ 450 milhões decorrentes da nova estrutura organizacional e R$ 300 milhões da redução de gastos com transporte de valores, segurança, locação e condomínios, manutenção de imóveis, entre outras”, alega o banco.

Com adesão prevista até 9 de dezembro, o plano de aposentadoria incentivada mira 18 mil funcionários que já reúnem condições para se aposentar. Ainda não há estimativa do impacto financeiro dessa medida. O BB pretende oferecer o correspondente a 12 salários, além de indenização por tempo de serviço, de um a três salários, conforme o tempo de serviço.

Outra estratégia para cortar gastos será oferecer a redução da jornada de trabalho, de oito para seis horas, a 6 mil assessores da direção-geral e superintendências. Além disso, o Banco do Brasil planeja abrir 255 unidades de atendimento digital em 2017. Segundo o banco, as mudanças não vão reduzir a presença da instituição financeira nos municípios.

Com informações do Congresso em Foco

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Aldir Júnior afirma que votará pela reeleição de Astro de Ogum


O vereador eleito Aldir Júnior (PR/ foto), que obteve um total de 6.392 votos na eleição de outubro deste ano para a Câmara Municipal de São Luís, declarou nesta sexta-feira, 18, em entrevista exclusiva ao programa Câmara em Destaque, na rádio Difusora AM, que irá votar pela recondução do vereador Astro de Ogum (PR) para mais um biênio (2017/2018) a frente da presidência do Legislativo.

Aldir Júnior diz que chega ao parlamento para demarcar território na política municipal da capital maranhense. Sobrinho do deputado estadual mais votado da história política do Maranhão, Josemar de Maranhãozinho (PR), Aldir Junior afirma que pretende contribuir para a melhoria da infraestrutura da cidade e da qualidade de vida da população.

O vereador eleito garante que aprendeu muito com a campanha eleitoral em São Luís e que tão logo assuma o mandato na Câmara Municipal pretende retribuir cada voto que lhe foi conferido. Votará em projetos que sejam propositivos para o crescimento da cidade, apoiando o que for positivo a ser encaminhado ao Legislativo pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Roupas de Lucas Porto são encontradas pela polícia

As vestimentas que era utilizadas pelo empresário Lucas Porto já foram localizadas pela polícia e será periciada
As roupas que estavam sendo usadas no dia do crime pelo empresário Lucas porto, 37 anos, contra a cunhada e publicitária Mariana Costa, 33, foram encontradas pela equipe de investigação da polícia civil do Maranhão que atua no caso envolvendo o brutal assassinato da sobrinha-neta do ex-presidente da República, José Sarney.

As vestimentas foram entregues por familiares do próprio autor confesso do crime e estavam escondidas em um apartamento vazio, de propriedade do pai do acusado, que fica no mesmo condomínio de Lucas, na área da Ponta d´Areia, bairro nobre de São Luís.

Segundo o delegado-geral da Polícia Civil, Lawrence Melo, as vestimentas do empresário já foram encaminhadas para análise do Instituto de Criminalística e Medicina Legal (ICRIM) para apurar se existem vestígios que possam confirmar a autoria real do crime. "Parentes dele mesmo entregaram as vestes de Lucas. Eles sabiam que nós já estávamos atrás e, portanto, ajudaram a encontrar as roupas", frisou.

Logo nos primeiros depoimentos à polícia, o empresário Lucas Porto afirmou que não sabia onde tinha colocado as roupas que usava no dia do assassinato de Marian Costa, para tentar se livrar da situação de flagrante delito.

Braide dá troco em Flávio Dino e barra empréstimo

O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) aprovou a votação do empréstimo para dar o troco no governador Flávio Dino
O deputado estadual Eduardo Braide (PMN), candidato derrotado na eleição à Prefeitura de São Luís, em outubro deste ano, barrou o projeto de lei (206/2016) de iniciativa do governador Flávio Dino (PCdoB) encaminhado à Assembleia Legislativa para empréstimo de R$ 444.750.000,00. A operação de crédito está prevista para ocorrer junto à Caixa Econômica Federal.

A matéria, que deveria ser apreciada e votada na quarta-feira, 16, no plenário do Legislativo Estadual, acabou sendo postergada pelo pedido de vista da proposta do Executivo pelo deputado Braide. Caso seja aprovado em plenário, esse será o terceiro empréstimo adquirido pelo governador Flávio Dino em menos de 40 dias e o segundo junto à Caixa.

O governador Flávio Dino (PCdoB) fica tiririca da vida com a postura adotada pelo deputado Eduardo Braide (PMN)
Reza nos bastidores políticos que o deputado Braide ainda não teria engolido a seco a falta de apoio do governador comunista com relação à sua candidatura à Prefeitura de São Luís, momento em que Flávio Dino teria manifestado total apoio à reeleição do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

Braide sempre manifestou lealdade ao governador, tendo por diversas vezes anunciado ter sido líder da bancada do governo do PCdoB na Assembleia Legislativa, o que só aumento sua mágoa.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Empresário confirma ter matado sobrinha-neta de Sarney

A publicitária Mariana Costa foi encontrada morta em seu apartamento no domingo passado por asfixia
O empresário Lucas Ribeiro Porto confirmou, na manhã desta quarta-feira, 16, a autoria do assassinato da publicitária Mariana Costa, 33 anos, sobrinha-neta do ex-presidente da República, José Sarney. Segundo o secretário de estado de Segurança Pública, Jefferson Portela, o acusado teria afirmado em seu depoimento à polícia que sentia uma forte atração sexual pela vítima, que era sua cunhada. 

Apesar do crime ter conotações passionais, o trabalho de investigação da polícia irá continuar até que todos os elementos sejam detalhados e o caso seja totalmente elucidado. 

Lucas Porto disse nunca ter mantido relações sexuais com a vítima e que no dia do crime, ao voltar ao apartamento da vítima a encontrou despida, quando tentou agarrá-la e a partir daí, foi travada uma luta corporal que acabou com a asfixia e posterior óbito da publicitária em seu apartamento, no bairro do Turu.

O principal suspeito da morte de Mariana Costa continua preso à disposição da Justiça, no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís.

Secretário diz que jornal do Maranhão vai fechar as portas

Secretário Márcio Jerry
O secretário de estado de Comunicação e Assuntos Políticos, Márcio Jerry (PCdoB) não perde a chance de provocar o espólio da família Sarney e seus asseclas de plantão. 

Em sua página no Twitter, o nobre escriba vermelho mete o dedo na ferida e deixa uma situação delicada no ar contra um jornal do estado do Maranhão, que segundo ele, pode fechar as portas em breve espaço de tempo.

Se a tal profecia se consumar, o secretário-mor da gestão do governador Flávio Dino (PCdoB) já terá uma nova profissão holística, a de vidente. Quem sabe até Jerry possa se aventurar em jogar as cartas na mesa para saber se o Brasil sairá da crise financeira em 2017.

Qual será esse matutino?

Com a palavra o secretário Márcio Jerry, na foto clicada por Felipe Klamt.

Tem jornal no Maranhão com prazo de validade determinado. Sem a ajuda patrimonialista não tá dando pra segurar. O capo se contorce...


Familiares e vizinhos serão ouvidos pela polícia no caso Mariana

O suposto assassino, Lucas Porto, encontra-se preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas à disposição da Justiça
Dando prosseguimento às investigações, a polícia aguarda ouvir nesta quarta-feira, 16, os depoimentos de nove testemunhas arroladas no caso da publicitária Mariana Costa, 33 anos, sobrinha-neta do ex-presidente José Sarney (PMDB). A vítima foi encontrada morta, nua em cima da cama, em seu apartamento localizado no bairro do Turu, área de classe média de São Luís. O suposto assassino, o empresário Lucas Ribeiro Porto, 37, continua preso preventivamente no Complexo Penitenciário de Pedrinhas à disposição da Justiça.

No momento, o caso está sob o comando do delegado Lúcio Rogério Reis, do Departamento de Homicídios da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP). A expectativa é que nessa nova rodada de oitivas devem ser ouvidos familiares e vizinhos da vítima, para tentar obter novas informações que possa elucidar o caso.

A polícia ainda aguarda o resultado do exame de material genético que foram colhidos na unha da vítima, pois existe a suspeita de que antes de ser morta, a publicitária tenha mantido luta corporal com o suposto assassino, fato que pode evidenciar a autoria do crime pelo empresário Lucas Porto, que era cunhado da vítima.

O brutal assassinato de Mariana Costa teve uma ampla repercussão nacional, por conta da vítima ser sobrinha-neta do ex-presidente da República, José Sarney.

Adriano Sarney pede justiça para o caso Mariana Costa

O deputado estadual Adriano Sarney (PV) lamentou, por meio de nota, a morte de Mariana Costa e cobrou justiça
O deputado estadual Adriano Sarney (PV), por meio de nota, clama por justiça no caso que envolve o assassinato da publicitária Mariana Costa, 33 anos, sobrinha-neta do ex-presidente da República, José Sarney (PMDB). O parlamentar, que também é neto do ex-presidente, manifestou sua indignação com o crime em sua página no Facebook, ao afirmar que "a consternação se alastrou por toda a população".

Na oportunidade, o deputado Adriano pediu que a justiça seja feita e que o principal suspeito de ter matado a publicitária, o empresário Lucas Porto, que era cunhado da vítima, possa pagar pelo crime que possa ter cometido. "Deixo nesta mensagem, além dos meus votos de pesar, a esperança de que a justiça prevaleça", declarou o parlamentar ecológico.

A publicitária Mariana Costa foi brutalmente assassinada
Adriano também destacou a importante devoção da publicitária Mariana Costa em suas pregações na Igreja Batista do Olho d´Água. "A Mariana era uma líder, muito talentosa, na Igreja Batista no Olho d´Água, onde prestava apoio à sociedade. Mulher e mãe de valor", destacou o deputado.

A publicitária foi morta no domingo passado, 13, e foi sepultada um dia depois sob clamor de justiça por familiares e amigos da vítima, que teria sido asfixiada por seu algoz.

NOTA DE PESAR
A consternação se alastrou por toda a população com a trágica morte de Mariana Menezes de Araújo Costa Pinto, de 33 anos, no apogeu da juventude, filha do ex-deputado estadual Sarney Neto, meu parente e amigo, e sobrinha-neta do meu avô, José Sarney. A Mariana era uma líder, muito talentosa, na Igreja Batista no Olho D'Agua, onde prestava apoio à sociedade. Mulher e mãe de valor. Deixo nesta mensagem, além dos meus votos de pesar, a esperança de que a Justiça prevaleça.

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Deu na VEJA: Camargo Corrêa tentou proteger Lobão, afirma delator

O senador Edison Lobão (PMDB) é citado na delação de ex-gerente de Relações Institucionais da Camargo Corrêa
Brasília-Em depoimento prestado no mês passado à Polícia Federal, o ex-gerente de Relações Institucionais da Camargo Corrêa Gustavo da Costa Marques afirmou ter omitido informações da Operação Lava Jato para seguir “versão estabelecida” pela empreiteira. 

Ao retificar as declarações, o executivo disse ter escondido dos investigadores a participação de um empresário, apontado como operador do PMDB no esquema de corrupção nas obras da Usina de Belo Monte. Além disso, acrescentou ter pago propina em espécie ao senador peemedebista Edison Lobão (MA), que na época era ministro de Minas e Energia do governo Dilma Rousseff.

Costa Marques, que trabalhou por 16 anos para a Camargo, é um dos colaboradores do acordo de leniência firmado pela construtora e vários de seus dirigentes com o Ministério Público Federal (MPF) no Paraná. Em 2011, ele passou a ser o responsável pelo escritório de representação da empresa em Brasília e a ter ligações com Lobão. A ex-mulher de Costa Marques exerce desde o ano passado cargo comissionado no gabinete do senador peemedebista.

Os delatores da Camargo admitiram que 1% do valor do contrato da usina, tocado pela empresa em consórcio com a Andrade Gutierrez e a Odebrecht, era repassado a políticos do PT e do PMDB. Conforme depoimentos já revelados, ao menos 2 milhões de reais foram pagos a Lobão por, supostamente, ter ajudado a criar o consórcio e para que não impusesse obstáculos à obra. O caso é investigado em inquérito sigiloso no Supremo Tribunal Federal (STF), sob relatoria do ministro Edson Fachin.

Para que os recursos chegassem ao então ministro, a Camargo teria feito dois contratos falsos com a AP Energy Engenharia e Montagem, entre 2011 e 2012. A empresa, com sede em Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo, não teria prestado serviços, mas apenas recebido os recursos para repassá-los ao peemedebista.

À PF, Costa Marques disse que, a mando do ex-diretor da Camargo Luiz Carlos Martins, também delator, ajudou a montar a operação de pagamento das propinas ao PMDB. Contou ter feito viagens a São Luís para discutir os repasses com o ex-secretário da Casa Civil do Maranhão Luiz Fernando Moura da Silva, apontado como intermediário de Lobão.

Reinquirido

Em dois depoimentos, prestados em junho, o ex-gerente de Relações Institucionais da empreiteira afirmou que sua participação se limitou a viagens e a apresentar Fernando Brito, um dos donos da AP Energy, aos seus superiores na Camargo para a contratação fictícia. Ele chegou a dizer que não sabia se Lobão era o “destinatário final dos valores”.

Em outubro, ao ser reinquirido, o delator disse, no entanto, que não confirmava na íntegra as declarações anteriores, “pois elas seguiram versão estabelecida pela Camargo Corrêa”. E se prontificou a “restabelecer a verdade sobre os fatos”.

Costa Marques disse que foi com Rodrigo Brito, filho de Fernando Brito, que manteve tratativas em nome da AP Energy. Afirmou que omitiu a participação do operador para “protegê-lo”. Além disso, admitiu ter tratado diretamente com Lobão do pagamento de propinas em quatro reuniões na casa do então ministro, em Brasília, entre 2011 e 2012.

Maços de dinheiro

Costa Marques revelou que em um desses encontros, no fim de 2012, Lobão solicitou que entre 600 mil reais e 800 mil reais fossem levados à capital federal “de forma urgente”. Os recursos, segundo ele, foram providenciados por Rodrigo Brito, que viajou à cidade e lhe entregou uma mochila com a quantia em espécie.

Costa Marques disse que “acondicionou os maços de dinheiro em uma caixa e o conduziu imediatamente à residência do ministro Lobão, tendo-o entregue a ele próprio”. Afirmou ainda que Lobão não se preocupou em contar as notas e abriu a caixa para que o ministro “se certificasse do conteúdo”.

A mudança de versão ocorre em um momento em que a Lava Jato faz um recall para que executivos da Camargo e de outras empreiteiras contem detalhes que não revelaram em seus primeiros depoimentos de delação, mas foram citados por outros colaboradores. Os advogados do ex-secretário Luiz Fernando Moura da Silva pediram na semana passada que o acordo de Costa Marques seja anulado por causa das “mentiras” nos primeiros depoimentos.

Costa Marques é filho de Glaucos da Costa Marques, primo do pecuarista José Carlos Bumlai, preso pela Lava Jato e amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Glaucos comprou uma cobertura vizinha à do petista em São Bernardo do Campo e a alugou para ele. A Lava Jato investiga se o imóvel foi pago pela Odebrecht.

(Com Estadão Conteúdo)

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Deu na VEJA: Sobrinha-neta de Sarney é encontrada morta no MA


Brasília- A sobrinha-neta do ex-presidente da República José Sarney (PMDB) Mariana Costa (foto) foi encontrada em seu apartamento em São Luís com sinais de asfixia na noite deste domingo. Segundo informações preliminares da polícia, ela foi achada pelas filhas de 11 e 9 anos em sua cama. Mariana chegou a ser levada a um hospital particular da capital maranhense, mas não resistiu aos ferimentos. O principal suspeito de ter cometido o crime é o cunhado dela, o empresário Lucas Leite Porto, casado com a irmã da vítima.

De acordo com a perícia da Polícia Civil, o empresário foi ao prédio para deixar a própria Mariana e as duas filhas após participarem de um culto. Porém, ele subiu uma segunda vez ao apartamento da cunhada e, após descer em definitivo, efetuou longas ligações no hall do edifício.

Segundo a polícia, as câmeras do Condomínio Garvey Park foram fundamentais para efetuar a prisão – Porto foi atuado em flagrante. Após prestar depoimento, ele foi encaminhado para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Ainda de acordo com a polícia, Porto tinha marcas de arranhões no corpo e no rosto. As câmeras do prédio o mostraram saindo correndo pelas escadas do prédio.

Além de sobrinha-neta de Sarney, Mariana era casada com Marcos Renato, empresário do ramo de laticínios no Maranhão. Porto é filho dos donos do grupo Planta Engenharia.

Sobrinha- Neta do ex-presidente Sarney teria sido morta por cunhado


O empresário Lucas Leite Ribeiro Porto (foto) já está preso no Centro de Triagem de Pedrinhas, considerado o principal suspeito de matar, por sufocamento, a cunhada Mariana Menezes de Araújo Costa Pinto, de 33 anos, que foi encontrada desacordada, na noite de domingo, 13, em seu apartamento, no Turu, considerado bairro de classe média de São Luís.. 

Mariana Menezes de Araújo Costa  Pinto
A vítima, que trabalhava na Universidade CEUMA, era filha do ex- ­deputado estadual Sarney Neto, sobrinho do ex- ­presidente José Sarney (PMDB). O circuito de TV do condomínio onde morava Mariana Costa mostra Lucas Leite Ribeiro Porto, que é casado com a irmã da vítima, correndo nas escadas do edifício. 

Mariana foi encontrada desacordada em seu apartamento e ainda chegou a ser levada a um hospital, mas não resistiu e morreu.

A causa possível da morte é asfixia. Mariana era casada e mãe de dois filhos.