segunda-feira, 25 de março de 2019

Marqueteiro lança livro sobre a derrota do grupo Sarney para Dino


O marqueteiro e cientista político Juliano Corbellini, lançou na semana passada o livro: "Lições de uma campanha eleitoral: a derrota do Grupo Sarney", em que o autor revela nos bastidores o fim da era Sarney no Maranhão com a ascensão, nas urnas, do governador Flávio Dino (PCdoB), nas eleições de 2014 e 2018.

Coberllini, que coordenou as duas campanhas eleitorais de Dino, disse não haver chance do governador maranhense se tornar um típico coronel da política do Nordeste, a exemplo do que foi o seu antecessor que comandou com mão de ferro e muita astúcia a política no Maranhão por mais de 50 anos.

"É algo completamente diferente (Dino e o modelo de um típico coronel). (...) Se você olhar a composição do governo, ele (Dino) tem, claro, alguns políticos, mas muitos ascenderam à política nesse movimento de renovação."

Livro Lições de uma campanha eleitoral da editora Tomo Editorial Foto: Divulgação
Em entrevista à Época, o marqueteiro Coberllini explica por que a família Sarney perdeu para Flávio Dino.

"Primeiro, pelo próprio desgaste do tempo. Segundo, a opinião pública maranhense começou a ganhar uma autonomia, e a elite política do Maranhão não percebeu isso. E houve também uma reflexão de estética e da linguagem da oposição, em que a gente rompeu com a visão binária, de que o Maranhão era dividido em quem era Sarney e quem era anti-Sarney. (...) Para a oposição vencer, ela teve que romper um pouco com os arquétipos da sua própria linguagem", declarou o autor do livro.

sábado, 23 de março de 2019

Roberto Rocha agora quer decolar na asas de Bolsonaro


Depois de pegar carona nas asas do governador Flávio Dino (PCdoB) e se eleger senador da República, Roberto Rocha (PSDB) agora quer pegar carona nas asas do presidente Jair Bolsonaro (PSL), no intuito de se aproximar cada vez mais das benesses do poder do Planalto.

Nas redes sociais, o senador maranhense tem manifestado palavras "mui amistosas" ao presidente, sendo a mais recente que faz menção a decisão de Bolsonaro ter assinado acordo com o presidente Donald Trump, dos Estados Unidos (EUA), para exploração e lançamento de satélites do Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão.

Veja abaixo o que disse o senador tucano, posando graciosamente ao lado do presidente.

O presidente retoma uma tradição brasileira de parcerias, alianças e prosperidade com os Estados Unidos, sendo que dessa vez, coloca o Maranhão como protagonista das grandes decisões bilaterais. E Bolsonaro disse: “Agora o Maranhão vai decolar”.

sexta-feira, 22 de março de 2019

A imediata resposta da Lava Jato


A revista ISTOÉ desta semana traz como destaque a resposta da operação Lava Jato, ao reagir às pressões do Supremo Tribunal Federal (STF). A publicação revela todo o processo de investigação que levou para a cadeia, na quinta-feira, 21, o ex-presidente Michel Temer (MDB) e o ex-ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, entre outros comparsas de um esquema bilionário.


Para o juiz Marcelo Bretas, do Rio de Janeiro, que determinou as detenções de Temer e Franco, o ex-presidente emedebista é o chefe de uma organização criminosa, que lesou os cofres públicos por quatro décadas.

quinta-feira, 21 de março de 2019

Temer lidera grupo que recebeu R$ 1,8 bilhão, diz Lava Jato

O ex-presidente Michel Temer sendo recepcionado por José Sarney e a ex-governadora Roseana Sarney
O Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro afirma que o ex-presidente Michel Temer (MDB), preso no final da manhã desta quinta-feira (21), lidera uma organização criminosa que "praticou diversos crimes envolvendo variados órgãos públicos e empresas estatais, tendo sido prometido, pago ou desviado para o grupo mais de R$ 1 bilhão e 800 milhões".

Temer foi preso no final da manhã desta quinta-feira (21), no Rio de Janeiro, com base em uma investigação levada à Justiça Federal do Rio. Os fatos que ela apurava foram desmembrados do chamado inquérito dos portos, em que Temer foi denunciado ao Supremo Tribunal Federal (STF) com mais cinco pessoas.

Segundo o MPF, a investigação aponta que pessoas e empresas usados como laranjas  "na rede de lavagem de ativos de Michel Temer" ainda recebem e movimentam valores ilícitos e escondem dinheiro, inclusive no exterior.

"As apurações também indicaram uma espécie de braço da organização, especializado em atos de contrainteligência, a fim de dificultar as investigações, tais como o monitoramento das investigações e dos investigadores, a combinação de versões entre os investigados e, inclusive, seus subordinados, e a produção de documentos forjados para despistar o estado atual das investigações", diz o MPF em nota.

Com informações do Congresso em Foco

Prisão de Temer gera inquietações e medo no MDB


As prisões do ex-presidente da República, Michel Temer, e do ex-ministro Moreira Franco, nesta quinta-feira, 21, casou inquietações e medo do que possa ocorrer com os desdobramentos das investigações na alta cúpula do MDB.

Temer foi preso nesta manhã por determinação do juiz Marcelo Bretas, do Rio de Janeiro, como parte de mais um desdobramento da operação Lava Jato, no combate à corrupção e lavagem de dinheiro.

Membros da alta cúpula do MDB evitam comentar o assunto.

quarta-feira, 20 de março de 2019

Vereador do DEM deve pedir o "impeachment" de Edivaldo



O líder do DEM na Câmara Municipal de São Luís, vereador Marquinhos Silva, utilizou a tribuna da Casa nesta quarta-feira, 20, para afirmar que não pensará duas vezes em pedir o impeachment do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), caso fique comprovado que ele deu pedaladas fiscais.

O assunto veio à tona depois que um projeto do Executivo deu entrada no Legislativo pedindo autorização da Câmara para garantir um empréstimo de mais de R$ 100 mil, mas que para ser aprovado pelo Banco do Brasil, o prefeito teria que começar a pagar uma dívida anterior de R$ 105 milhões com uma empresa prestadora de serviço na área da limpeza pública.

"Não exitarei em pedir o impeachment do prefeito Edivaldo", afirmou.

O líder do governo municipal na Casa, vereador Pavão Filho (PDT), diz não ter nada de absurdo que possa ser pedido o afastamento do prefeito Edivaldo.

Câmara debaterá aumento das tarifas de passagens

Por iniciativa do vereador Cézar Bombeiro (PSD), a Câmara Municipal de São Luís realizará nesta quarta-feira, 20, a partir das 14h, audiência pública, reunindo os trabalhadores e empresários do sistema de transporte coletivo da cidade, representantes do Ministério Público do Trabalho, secretário Municipal de Trânsito e Transportes, Canindé Barros, e a comunidade com o objetivo de colocar em debate a questão do preço das passagens nos ônibus.

Em relação à cobrança do empresariado, Cézar Bombeiro afirma que “é um absurdo oferecer um serviço de péssima qualidade e sempre alegando que não têm condições de manter a frota com todos os encargos, estão trabalhando no vermelho e quase falidos”.

Diante de tudo isso, Cézar Bombeiro rebate que essa argumentação não tem cabimento. “O empresário recebe o dinheiro vivo de quem utiliza transporte a cada instante, e o preço da passagem é um artigo que não é comercializado a crédito. Até para possuir um cartão de transporte, o usuário tem de pagar adiantado”, disse o vereador.

O parlamentar do PSD diz que os usuários do transporte coletivo são as mais prejudicados, principalmente quando ocorrem as paralisações.

População como refém – Uma outra observação que o vereador leva em consideração é o fato da “população ficar como refém, vivendo sempre ameaçada com o grave problema da paralisação do sistema de transporte. Isso ocorre constantemente, já que os empresários colocam em sua defesa a necessidade de aumento nos preços das passagens”.

Como está sendo esperado um debate envolvendo rodoviários, empresários e autoridades, Cézar Bombeiro considera importante a participação popular para observar de perto o que irão falar esses segmentos.

“Toda a situação mexe com o bolso do trabalhador, que sempre é a grande vítima do jogo de empurra, que como todos sabem tem como ponto final o aumento de passagens”, afirmou vereador.

terça-feira, 19 de março de 2019

"Nunca persegui ninguém", diz Astro


O ex-presidente da Câmara Municipal de São Luís, Astro de Ogum (PR), pela primeira vez usou a sessão desta terça-feira, 19, para falar sobre o caso das supostas "aposentadorias irregulares", em que seu nome aparece na lista do Legislativo.

Astro disse não saber por que estariam fazendo tanta tempestade em copo d´água. "Nunca persegui ninguém. Não sei por que isso está acontecendo", declarou.

No entendimento do parlamentar, houve um seletivo em apontar seu nome na suposta lista, já que mais de 90 pedidos de aposentadoria aparecem pelo regime próprio.

"Sou funcionário da Câmara de São Luís desde a época de Manoel Ribeiro (ex-presidente da Câmara). Não vivo de aposentadoria. Quem persegue, perseguido será. O problema é comigo. Quero dizer que não vivo nem de salário de vereador", enfatizou.

Osmar segue orientação do PDT e se coloca contra reforma da Previdência


O presidente da Câmara Municipal de São Luís, Osmar Filho, disse ter sido acertado o posicionamento da Executiva do PDT, em Brasília, em se manifestar contra a reforma da Previdência do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), pelas inúmeras "pegadinhas" que existem no texto encaminhado ao Congresso Nacional.

Em entrevista nesta terça-feira, 19, ao programa Câmara em Destaque (Rádio Educadora AM-560Khz), Osmar declarou comungar do mesmo posicionamento da cúpula do PDT, que foi unânime em tomar essa decisão e que deve ser seguido pelos membros da sigla.

Para ele, não é apenas ser contrário à reforma da Previdência, mas é preciso garantir a manutenção de direitos trabalhistas conquistados com muita luta pela sociedade ao longos de décadas.

"Nós do PDT entendemos que é preciso melhorar aspectos como a aposentadoria rural, a idade mínima para mulheres, as regras de transição e aposentadoria dos militares", frisou.

Assim como o senador pedetista Weverton Rocha, o presidente Osmar Filho entende que o texto encaminhado não é reforma, mas o fim da Previdência.

segunda-feira, 18 de março de 2019

Astro corre risco de não sair candidato a prefeito pelo PR


Tudo indica que o ex-presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Astro de Ogum (PR), pode ter de procurar uma nova legenda para disputar a Prefeitura da capital maranhense, em 2020, caso mantenha seu projeto político para as próximas eleições.

O parlamentar tem colocado na mídia sua intenção como eventual concorrente à sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT). No entanto, a direção do PR já sonha com a indicação do nome do vereador de primeiro mandato, Aldir Junior, sobrinho do deputado federal Josemar de Maranhãozinho, presidente estadual do PR no Maranhão.

Até o momento, Astro ainda não fala sobre possível troca de sigla partidária, mas ao que tudo indica é que a mudança pode ocorrer a qualquer momento.