quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Crise: Tolerância zero nos órgãos da Prefeitura de São Luís

Prefeito Edivaldo Holanda Jr quer reduzir custos na esfera municipal
O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), assinou na última terça-feira, 24, um Decreto determinando que órgãos da administração municipal devem passar por redução de custos nos próximos dias. A redução atingirá 30% das despesas com água e energia elétrica, 50% da frota de veículos locados, e de no mínimo 10% das despesas com telefonias móvel e fixa.

O Decreto nº 48. 812, visa conter despesas de custeio e pessoal na administração municipal, com intuito de garantir o equilíbrio econômico, bem como manter investimentos e compromissos financeiros assumidos pelo município. As diretrizes estabelecidas para contenção de despesas deverão ser observadas pelas secretarias, autarquias e órgãos da administração.

Com isso, ficam suspensos novos contratos de locação de imóveis destinados à instalação e funcionamento de órgãos, bem como de veículos. Afora as aquisições para fins de desapropriação, a aquisição de imóveis com recursos do tesouro municipal também fazem parte do escopo do decreto. Pelo Decreto, também ficam proibidas a realização de recepções, homenagens, solenidades e eventos que demandem recursos com contratação de empresa para realização da atividade específica.

Também estão previstas medidas para controle de gastos com pessoal. A extensão da carga horária de servidores está suspensa, sendo permitida carga horária máxima entre 25 e 60 horas, para os que atuam nos órgãos de administração direta e indireta, desde que justificada e autorizada pelo titular do órgão.

Além do prefeito pedetista, o secretário de Governo, Lula Filho, também assinou o documento. Segundo Edivaldo, a meta é economizar cerca de R$100 milhões durante o ano. “Criamos um comitê financeiro e orçamentário especialmente para monitorar o cumprimento das medidas e que o setor estará em planejamento permanente”, explicou.

2 comentários:

  1. Esse prefeito desafia a minha inteligência, como cortar gastos sem extinguir algumas secretarias, diga-se que muitas não servem pra nada exceto pra abrigar aliados políticos, enquanto muitas cidades fazem isso em São Luís, o prefeito acha que pode enganar a população, o senhor é uma decepção para seus eleitores, muita gente de cargo comissionados que não têm função alguma e recebe um salário polpudo enquanto terceirizados que prestam serviços a órgãos municipal passamanhã até 3 meses sem saber o que salário, seu prefeito o senhor é uma vergonha e olha que sou funcionaria pública, e vejo a realidade que vcs quer esconder. DESEJO QUE VCI NÃO CONSIGA SE ELEGER MAIS NEM PRA SINDICO DE CONDOMÍNIO POPULAR.

    ResponderExcluir
  2. Vc tem toda a razão, o prefeito deve achar que nós somos tão ignorantes a ponto de não saber discernir a mão esquerda da direita, já que quer cortar gastos comece com a coliseu que já não serve mais pra nada, exceto servir de cabide de emprego pra, quem sabe, esconder fantasma diminua suas mordomias e os vereadores tb, porquestra Emma vez de contratar empresa de vigilância para as escolas não dar esse trabalho a guarda municipal, pois ando por aí e não vejo um guarda desses nas ruas, então dê-lhe ocupação, faça concurso pra merendeiras de escolas sai mais barato do que terceirizar o serviço, porque se sabe que o funcionário efetivo custa bem menos de que um celetista porque o repasse pra empresas tem que ser muito acima do (pelo menos 3 vezes mais), embora os trabalhadores na hora de receber o salário recebem um valor baixo. Seu Edivaldo me entristece saber que o senhor tem mais 4 anos pra brincar de ser prefeito e desgovernar São Luís.

    ResponderExcluir