terça-feira, 6 de novembro de 2018

De olho na faixa presidencial de 2022, Dino mira no juiz Sérgio Moro

Governador Flávio Dino (PCdoB)
Que existe um ego político acima do normal na figura pública do governador reeleito do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), isso ninguém duvida. No entanto, a hora agora é de ter cautela, governar e desarmar o palanque eleitoral.

No entanto, desde que as lideranças de esquerda perderam o pleito para o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), Dino tem se colocado como uma via alternativa para reerguer as hostes da bandeira de esquerda e da ultra esquerda contra o inimigo público número 1, que passará a comandar, a partir de janeiro de 2019, o Palácio do Planalto, um governo de direita e extremamente conservador.

Até aí tudo bem, já que caberá aos membros da esquerda retomar à pauta da oposição e na defesa dos interesses das minorias. 

Só que o governador comunista vem buscando os holofotes da mídia e das redes sociais, a qualquer custo, de forma contundente e muitas das vezes gerando polêmicas e riscos desnecessários para o momento.

Entendo que o próximo passo é analisar bem o inimigo para não perder a viagem ou a batalha. Porém, Dino e seus asseclas de plantão entendem que o fogo cruzado deve ser intermitente, sem trégua.

A mais nova celeuma foram as últimas declarações de Dino sobre a tomada de decisão do juiz federal Sérgio Moro em trocar a toga para ocupar o Ministério da Justiça e Segurança Pública, na gestão presidencial eleita.

Pura briguinha de comadre, já que o governador comunista reeleito também optou pela troca da toga para iniciar sua vida política no estado como deputado federal com apoio de lideranças como o ex-governador José Reinaldo Tavares, hoje adversário político, e o saudoso ex-deputado Humberto Coutinho.

Como essa briguinha de comadre não vai levar a nada, apenas garantir holofotes nacionais, o povo do Maranhão teme pelo pior.

2 comentários:

  1. Dino não serve nem limpar o sapato do juiz Sérgio Moro, ele que va sonhando com a presudepre da república porque só será do devaneios,um sujeito descontrolado que não tem postura de um governante, impulsivo, aliado de bandido governa um Estado que está na vanguarda da pobreza. A partir do próximo ano o Maranhão está numa situação até pior e ele tera a cara de pau de culpar Jair Bolsonaro, já que Sarney não pode mais ser responsabilizado pelas incompetência de dele.

    ResponderExcluir
  2. Ainda bem que o resto do país não pensa como o Maranhão e o Nordeste e esse ex-juizinho não tem chance de se tornar presidente, uma pessoa com o vocabulário chulo, desrespeitoso que ele tem nao merece ser nem presidente da feira do João Paulo, Dinóquio e a sintese do que restou da esquerda capitaneada pelo condenado Lula.

    ResponderExcluir