anúncio no blog

anúncio no blog

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Prefeito Edivaldo reforça política de transparência pública

Prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT)
O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), pretende reforçar a política de transparência pública com a posse de 10 novos auditores do controle interno do município. A solenidade de posse acontecerá nesta quinta-feira, 16, a partir das 11 horas, no auditório Reis Perdigão, na sede da Prefeitura. Para o gestor municipal, a administração trabalha para esse fortalecimento e garantir maior transparência das ações administrativas.

"O atual contexto da administração pública exige ações voltadas para a orientação, fiscalização e avaliação do cumprimento das medidas e ajustes que implantamos para o equilíbrio das contas públicas. A posse dos novos auditores concretiza um compromisso assumido com a população de aplicar o dinheiro público com responsabilidade", disse o prefeito Edivaldo.

Segundo o controlador-geral do município, Jackson Castro, a iniciativa é ampliar o time de auditores da CGM para o exercício de funções primordiais, como controle, auditoria, fiscalização, ouvidoria, correição, entre outros aspectos. "Assim, reforçamos aquela que tem sido uma das marcas da administração do prefeito Edivaldo, que é a transparência", destacou.

De acordo com o controlador-geral, durante a posse, será assinado pelo prefeito o projeto de emenda à Lei Orgânica que versa sobre o novo Sistema de Controle Interno Municipal, que será posteriormente encaminhado à Câmara Municipal.

Os dez novos auditores foram aprovados e classificados por meio de concurso público realizado em 2015. O concurso realizado nessa ocasião foi o primeiro em quase uma década. Do total de auditores a serem empossados, sete são de abrangência geral, um de engenharia civil, um de engenharia elétrica e um de tecnologia da informação.

Um comentário:

  1. Eu não acredito em transparência nas administrações públicas no Brasil, Edivaldo vai passar mais 4 anos hibernando sem de fato dar eficiência a sua gestão, problemas simples não consegui resolver, por exemplo, a situação da merenda escolar fez uma suposta licitação desde dezembro e até hoje não divulgou o resultado oficialmente o que se sabe por intermédio de recurso decisório assinado pelo secretário de educação e que a "vencedora" do certame é de São Paulo, situada (por coincidência) no mesmo bairro da SP alimentos que detêm o contrato desde 2002 época do prefeito Tadeu Palácio, talvez seja pela "eficiência".

    ResponderExcluir