segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

"Flávio Dino divulgou estudos de balneabilidade sem credibilidade", diz Andrea Murad


A deputada estadual Andrea Murad (PMDB/foto) disse não ter mérito algum disseminar informações falsas em busca de popularidade, referindo-se aos laudos de balneabilidade de despoluição das praias de São Luís do governo Flávio Dino (PCdoB), que foram derrubados por terra, após levantamento divulgado no último fim de semana pelo jornal Folha de São Paulo, mostrando que as condições são "péssimas" em São Luís e em toda orla de São José de Ribamar.

Para ela, as informações da Folha de São Paulo são sérias, "respaldadas por especialistas da Fundação Oswaldo Cruz", que mostram que algo deve estar errado naquilo que tenta passar para a população o governo comunista ao ter afirmado que as praias de São Luís estão todas despoluídas.

Veja o que diz a deputada:

A Folha de São Paulo trouxe um estudo muito pertinente e nos revelou a verdade sobre a balneabilidade de nossas praias. Como diz a própria matéria, “entre as capitais nordestinas, São Luís é a de pior situação: todas as 16 praias foram consideradas ‘péssimas’”, ou seja, impróprias. A informação fez cair por terra toda mentira disparada pelo governo do estado sobre as praias limpas de nossa capital. Flávio Dino e seu secretariado precisam entender que não há mérito algum disseminar informações falsas em busca de um mínimo de popularidade sobre algo tão sério. Isso é caso de saúde pública. As informações dadas hoje por um órgão da imprensa nacional, respaldadas por especialistas da Fundação Oswaldo Cruz, nos mostram que algo deve estar bem errado no que o Governo nos diz. Eu prefiro confiar na imprensa, no estudo feito de forma independente, já que desde o início nunca acreditei nas informações repassadas pelo governo Flávio Dino.

Em 2016, as nossas praias ficaram impróprias para o banho boa parte do tempo e o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e da CAEMA, escondeu isso da população. Fez pior, divulgou mentiras, com base em estudos que não tem credibilidade, sem qualquer detalhamento se fazem corretamente hoje. É claro que em tempos de chuva, a balneabilidade é prejudicada porque o lixo da cidade e os rios poluídos desembocam nas praias. Mas daí publicar dados equivocados, justificativas mentirosas, é de extrema irresponsabilidade por parte da SEMA. Na gestão de Ricardo Murad, as análises eram feitas pelo Laboratório Central, onde se realizou um grande investimento para que as análises da água do mar estivessem o mais ideal possível. Foi quando se reestruturou o LACEN, se investiu em treinamento e reaparelhamento do pessoal para que essa tarefa através da Fundação Oswaldo Cruz, órgão que capacitou o nosso Estado a realizar as análises ideais para que fossem divulgadas aos banhistas.

Flávio Dino chegou e jogou tudo pelo ralo, voltaram as análises sob a responsabilidade da Secretaria de Meio Ambiente, ninguém sabe de fato em quais condições. O que ele cometeu tirando as análises do LACEN foi algo criminoso. Ali foi investido dinheiro, equipamentos, qualificação de pessoal pela Fundação Oswaldo Cruz do Rio de Janeiro, que é referência no assunto. Naquela época, as análises não eram apenas com uma única coleta. Vários pontos, vários dias e horários diferentes para depois realizarem as análises e chegar a conclusão. Hoje, ninguém sabe a técnica utilizada, enquanto que na gestão anterior buscava-se aprimorar as análises e torna-las mais confiáveis. Portanto, não se deve acreditar no que divulga a Sema. Prova disso é o que apresentou a Folha de SP. Flávio Dino é um irresponsável vendendo ideia de que despoluiu praias. Isso é saúde pública. Existem crianças que banham de mar. Existem atletas de surf, kitesurf, entre outras modalidades que todos os dias estão no mar praticando seu esporte. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário